Páginas

segunda-feira, 28 de março de 2016

(SUPERLIGA) Bem preparado, Vôlei Nestlé está confiante para decisão com Rexona

Paulistas decidem vaga na final hoje (28) contra o Rexona (Foto: Divulgação)


O clássico mais representativo do vôlei brasileiro terá seu capítulo final nesta Superliga 2015/16. Após dois grandes jogos e com uma vitória para cada lado, os times de Osasco e Rio de Janeiro entram em quadra para o terceiro e derradeiro duelo semifinal nesta segunda-feira (28), às 18h30, no ginásio do Tijuca. Dando sequência ao ritmo intenso de treinos, o Vôlei Nestlé trabalhou nesta manhã de domingo de Páscoa nas instalações do Flamengo. Após a atividade, o técnico Luizomar e a capitã Thaisa destacaram a confiança na equipe em busca da classificação para a decisão da competição nacional.

Thaisa aposta no potencial da equipe e aponta o caminho para mais uma grande atuação. "Temos que jogar com a mesma confiança e agressividade que entramos nas duas partidas anteriores. Isso fez a diferença e foi marcante. Continuar bem no nosso sistema defensivo e caprichar um pouco mais na virada de bola. Precisamos focar no nosso ofensivo, pois com ele funcionando colocamos em dificuldade qualquer adversário. Temos consciência de que será muito difícil, mas sabemos do nosso potencial, do nosso trabalho e do quanto nos preparamos. Somos fortes e para irmos para a final teremos que entrar firmes e concentradas", afirma a central.

O técnico Luizomar elogia o rival, mas está confiante no trabalho que está sendo realizado. "Estamos há duas semanas respirando e trabalhando intensamente em cima do Rexona-Ades. Fizemos um grande jogo em Osasco e uma boa partida no Rio de Janeiro, mas desperdiçamos oportunidades que poderiam ter nos dado a vitória. Estou muito confiante para esta terceira e decisiva partida. O time sabe do seu potencial e vive bom momento. Do outro lado temos a equipe mais regular da competição. Sabemos de todas as dificuldades que vamos enfrentar, mas temos um time montado para isso e acostumado a momentos de decisão. Confio muito no trabalho de toda a temporada e que faremos um grande jogo para conquistarmos a classificação para mais uma final", ressalta o treinador.

No primeiro confronto, em Osasco, o Vôlei Nestlé venceu o Rexona-Ades, por 3 sets a 2, parciais de 25/22, 14/25, 26/24, 19/25 e 15 a 10. Com 25 acertos, a ponteira Carcaces foi a maior pontuadora e eleita a melhor em quadra, recebendo o troféu VivaVôlei. Na segunda partida, no Rio de Janeiro, as donas da casa ganharam por 3 a 1, parciais de 21/25, 25/22, 25/23 e 25/16. A levantadora Roberta foi o destaque do jogo e Natália a jogadora que colocou mais bolas no chão, com 21 pontos.

Os clubes já se enfrentaram 79 vezes na Superliga e a equipe carioca leva vantagem com 45 vitórias contra 34 do time de Osasco. Nos últimos 21 jogos pela competição nacional, o Rio de Janeiro soma 12 vitórias contra nove de Thaisa e suas companheiras. O vitorioso desta disputa avança para a decisão e enfrenta o ganhador do confronto entre Dentil/Praia Clube e Camponesa/Minas. O clássico mineiro também está empatado por 1 a 1 e o duelo decisivo está marcado para segunda-feira (28), às 21h, em Uberlândia.

Treino no Flamengo - O Vôlei Nestlé solicitou e o Flamengo respondeu positivamente. Neste domingo pela manhã, Luizomar e suas comandadas realizaram mais uma sessão de treinos visando a disputa diante do Rexona-Ades. "Quero agradecer ao Cube de Regatas do Flamengo por disponibilizar suas instalações e seus funcionários em um domingo de Páscoa. É um clube que está no meu coração. Uma torcida que me proporcionou momentos muito felizes no início da minha trajetória como treinador. Fiquei muito contente por ter reencontrado pessoas que há 16 anos fizeram parte da minha história", lembra Luizomar, que começou sua carreira de técnico no Flamengo, na temporada 2000/01, quando conquistou sua primeira Superliga.
Divulgação

domingo, 27 de março de 2016

(SUPERLIGA) Sada Cruzeiro vence Sesi-SP em Contagem e faz 1 a 0 na semi

Sada/Cruzeiro levou a melhor no primeiro jogo da série (Foto: Divulgação)


A torcida cruzeirense compareceu em peso nas arquibancadas do Riachão e viu novamente um time forte e aguerrido, querendo vencer a primeira batalha decisiva desta fase da Superliga 2015/16. E foi o que fez o Sada Cruzeiro na noite deste sábado, 26/03, ao derrotar o Sesi-SP por 3 a 1 no clássico, abrindo o playoff semifinal do Brasileiro. As parciais do duelo em Contagem foram 25/19, 22/25, 25/19 e 25/21.

A um passo da vaga na decisão, o time celeste vai agora em busca de mais uma vitória na segunda partida da série melhor de três, que será disputada na próxima sexta-feira, 1º de abril, às 18h30, em São Caetano do Sul-SP. Se um terceiro confronto for necessário, ele será novamente no Ginásio do Riacho, no dia 5, às 21h30.

Empurrado pela festa linda nas arquibancadas, em quadra o time azul também correspondeu e jogou muito bem. O oposto Wallace foi o artilheiro da partida, com 16 pontos. E o ponteiro Filipe foi eleito o melhor do jogo por votação popular.

“É maravilhoso ganhar o troféu VivaVôlei na semifinal. Eu acho que fiz um bom jogo, mas toda a equipe se portou muito bem. É um trabalho de um ano inteiro, de regularidade, de tentar passar tranquilidade para todo o time. E acho que isso foi reconhecido aqui hoje, mas eu dedico esse prêmio para o grupo todo, pois está todo mundo de parabéns pelo que mostrou em quadra. A gente procedeu bem taticamente, tudo o que o Marcelo estudou a gente colocou em prática. E agora temos que ir com ainda mais determinação, pois sabemos que eles têm um time que cresce muito, joga bem no sistema defensivo, então temos que estar preparados para conseguir o resultado lá também”, disse Filipe.
E todo o elenco azul foi bastante efetivo no clássico contra os paulistas. O central Éder foi o atacante mais eficiente, além de marcar três aces e dois bloqueios. “Acho que foi um jogo digno de uma final, repetimos as duas últimas decisões. Foi muito disputado. A nossa equipe não fez um dos nossos melhores jogos, mas conseguimos nos superar nos momentos importantes. E na raça e na superação conseguimos a vitória. A gente focou muito o saque durante a semana, treinamos saque praticamente todo dia, então foi muito importante conseguir sacar bem hoje. Agora vamos firmes para o jogo em São Paulo”, disse o central Éder.

Divulgação

sábado, 26 de março de 2016

(SUPERLIGA) Camponsa/Minas vira, bate Denti/Praia Clube e empurra decisão para 3º jogo

Tandara comandou a vitória do Minas sobre o Praia (Foto: Divulgação)


Uma partida para levantar o moral do Camponesa/Minas na semifinal da Superliga Feminina 2015/16. Diante de 2.968 torcedores, o time minastenista venceu o Dentil/Praia Clube, por 3 sets a 1 (21/25, 25/17, 25/22 e 25/22), e forçou o terceiro jogo da série melhor de três para tentar uma vaga na decisão da Superliga. Como o Camponesa/Minas empatou a série em 1 a 1, as duas equipes voltam a medir forças já nesta segunda-feira (28/3), às 21h, em Uberlândia.

O Troféu Viva Vôlei ficou com a oposta Tandara. “O diferencial de hoje foi o grupo. Quando eu não estava rodando, a Rosamaria estava, a Mari Paraíba estava. A gente sabia que podia chegar. Temos mais um jogo ainda, está 1 a 1. Hoje, a torcida fez a diferença, a gente jogou com mais um. Não temos mais o que trabalhar. É só concentrar e ir para cima”, comentou a camisa 16 do Camponesa/Minas após o jogo.

O técnico Paulo Coco disse o fator determinante para que a equipe conquistasse a vitória. “Nosso diferencial foi acreditar na vitória, acreditar que poderia vencer e focar neste objetivo. Para mim, no jogo de Uberlândia, a gente não acreditou na possibilidade da vitória, mesmo ela pintando na nossa mão. Neste momento, acreditar na vitória é essencial. Temos que acreditar na vitória e na nossa capacidade. ‘, comentou o treinador minastenista.

O jogo

O Camponesa/Minas não conseguiu começar bem no confronto. As jogadoras cometeram alguns erros e viram o Dentil/Praia Clube abrir vantagem no placar. O primeiro ponto minastenista veio com a central Mara, mas as adversárias já tinham colocado seis bolas no chão. O Camponesa/Minas até esboçou uma reação, mas parou na boa atuação da equipe de Uberlândia. Sem problemas, o Dentil/Praia Clube administrou a vantagem que construiu nos primeiros minutos, fechando o primeiro set por 25 a 21.

No segundo set, quem estava na Arena Minas Tênis Clube viu um Camponesa/Minas totalmente diferente. Em poucos minutos, o técnico Paulo Coco corrigiu as falhas apresentadas no primeiro set e mandou para o jogo uma equipe que não mostrou desempenho irregular. Perdido, o Dentil/Praia Clube não ameaçou as donas da casa. Depois de fechar o set com vitória por 25 a 17, as mineiras empataram o jogo em 1 a 1.

O terceiro set foi marcado pelo equilíbrio. O Camponesa/Minas começou com vantagem no placar, mas viu o Dentil/Praia Clube encostar e empatar o confronto. Mas as donas da casa tinham a central Carol Gattaz. Com grande atuação da jogadora, as mineiras venceram o terceiro set por 25 a 22.

Assim como no terceiro, o quarto set foi marcado pelo equilíbrio entre as equipes. Mas o Camponesa/Minas soube administrar o jogo e a vantagem construída. Acreditando na vitória, a equipe do técnico Paulo Coco foi precisa no ataque e na defesa e fechou o quarto set com vitória por 25 a 22, encerrando a partida por 3 sets a 1.

Camponesa/Minas: Mara, Carol Gattaz, Naiane, Rosamaria, Mari Paraíba, Tandara e a líbero Laís. Entraram: Valquíria, Karol Tórmena e Samara. Técnico: Paulo Coco.

Dentil/Praia Clube: Walewska, Claudinha, Ramirez, Alix, Natasha, Michelle e a líbero Tassia. Entraram: Jú Carrijo, Malú, Pri Daroit e Jú Costa. Técnico: Ricardo Picinin.

Divulgação

(SUPERLIGA) Em casa, Funvic/Taubaté bate Brasil Kirin e abre 1 a 0 na série semifinal

Lucarelli foi eleito o melhor jogador da partida (Foto: Divulgação)


Em casa e com apoio maciço da torcida o Funvic/Taubaté (SP) largou na frente do Brasil Kirin Vôlei (SP) no playoff semifinal da Superliga masculina de vôlei 2015/2016. Neste sábado (26.03) o time do Vale do Paraíba levou a melhor por 3 sets a 1 (25/19, 25/17, 20/25 e 25/19), em 2h21 de duelo no ginásio do Abaeté, em Taubaté (SP). 

O sistema de saque e bloqueio foi fundamental para o time da casa nos dois primeiros sets. O Brasil Kirin Vôlei conseguiu a reação na terceira parcial, mas não conseguiu manter o fôlego e foi superado no quarto set. O ponteiro Lipe, do Funvic/Taubaté, marcou 19 vezes e foi o maior pontuador do duelo. Outro destaque da equipe anfitriã foi o ponteiro Lucarelli que levou o Troféu VivaVôlei após ser eleito o melhor em quadra por voto popular.

“Como a semana foi muito longa conseguimos treinar bastante. Acredito que isso aumentou a confiança da equipe. Sabíamos que se fizéssemos o nosso máximo o resultado poderia vir. Nos dois primeiros sets começamos muito bem, o que deu mais confiança para nós e tirou a do adversário. O nosso foco é sempre começar muito bem o set, para não correr riscos no final. Sabemos da qualidade do time de Campinas, e precisaremos jogar muito mais lá para conseguirmos vencer novamente e fechar a série”, avaliou Lucarelli depois do jogo.

O próximo confronto entre os dois times acontece nesta sexta-feira (01.04), às 21h, no ginásio do Taquaral, em Campinas (SP).
 
Divulgação

(SUPERLIGA) Paulo Coco sobre confonto com Praia: "Desta vez, será diferente”

Equipe Minastenista foi superada no primeiro duela da serie semifinal (Foto: Divulgação)

A Arena Minas Tênis Clube receberá, neste sábado, às 14h, um grande público para a decisão entre Camponesa/Minas e Dentil/Praia Clube. Será o segundo jogo da semifinal da Superliga Feminina e, para as donas da casa, só resta uma saída: vencer a partida para forçar o terceiro duelo da série melhor de três da competição nacional. Se as minastenistas ganharem o jogo, as equipes voltam a se enfrentar na próxima segunda-feira (28/3), novamente em Uberlândia, com o horário a ser definido pela Confederação Brasileira de Voleibol.

No primeiro encontro entre as duas forças do voleibol mineiro, o mandante Dentil/Praia Clube levou a melhor. Em um jogo muito equilibrado, a equipe praiana venceu por 3 sets a 2 e abriu 1 a 0 na série. Naquele jogo, o Camponesa/Minas cometeu algumas falhas que foram cruciais para o resultado final no Triângulo Mineiro. Para o jogo em casa, a oposta Tandara acredita que a equipe se comportará de maneira diferente em quadra. “Esperamos fazer um jogo diferente do que foi lá em Uberlândia e forçar a terceira partida. O time sabe que tem condições de vencer, mostramos isso lá, e estamos bem tranquilas. Estamos com uma expectativa muito boa, pois jogaremos perto de nossa torcida e, com certeza, ela irá nos apoiar do início ao fim. Este será um dos nossos diferenciais e faremos um jogo com postura mais aguerrida e com menos erros”, comentou a oposta do Camponesa/Minas.

O técnico Paulo Coco trabalhou muito esta semana para corrigir o time e tentar minimizar as falhas durante a partida. O treinador acredita que a equipe atuará de forma diferente e entrará em quadra para empatar a série melhor de três. “Precisamos acreditar e ter confiança na equipe. Lá em Uberlândia nós jogamos com possibilidade da vitória. Ela pintou em nossas mãos, mas acabamos errando e não vencemos. O mais importante é encarar este segundo jogo como mais uma oportunidade, temos que ter tranquilidade e calma na hora de finalizar. Não tem nada perdido, a gente sabe que será uma partida difícil, mas vamos entrar em quadra preparados para definir, fazer as escolhas certas, saber arriscar na hora que precisar, trabalhar a bola e confiar no sistema defensivo, essa imaturidade na hora de definir custou a nossa derrota. Desta vez, será diferente”, destacou o treinador.


Divulgação

(MERCADO) Concilig/Bauru anuncia líbero Arlene para temporada 2016/17

Fora da edição 2015/16, Arlene disputou a última edição da Superliga pelo São José (Foto Danilo Sardinha)


A líbero Arlene Xavier é o primeiro reforço do Concilig Vôlei Bauru para a temporada 2016/17. A experiente atleta de 46 anos e 1,78 de altura assinou com a equipe bauruense até o final da próxima edição da Superliga. Arlene chega ao Concilig por indicação do auxiliar técnico Fernando Bonatto, com quem disputou a última edição da Superliga B por Cascavel, competição em que a equipe paranaense ficou com a terceira colocação.

Com vasta experiência no vôlei nacional, Arlene só não participou da atual edição da Superliga, em que a estreante equipe de Bauru terminou na décima colocação. A atleta começou a carreira jogando pelo Minas Tênis Clube, na década de 90, onde conquistou o título brasileiro e o sul-americano de 93. Na temporada seguinte foi criada a Superliga, em que Arlene disputou pelo extinto BCN Guarujá. O último nacional disputado pela atleta foi com São José dos Campos, na temporada 2014/15.

Defendendo clubes brasileiros, Arlene conquistou ainda três Superligas (Flamengo 2000/01 e Osasco 02/03 e 04/05), além de dois vice-campeonatos (Osasco 01/02 e Minas 03/04). A atleta tem também cinco títulos paulistas (todos por Osasco), duas Copas Brasil (Osasco e Pinheiros), dois Cariocas (Flamengo), um mineiro (Praia Clube) e um sul-americano (Minas). Foi eleita a melhor defensora de três edições da Superliga, melhor líbero da edição 01/02 e melhor bloqueio da edição 96/97.

Arlene foi convocada pela primeira vez para a seleção brasileira em 2002, quando passou a atuar como líbero (antes era central). Em 2003, foi vice-campeã da Copa do Mundo, no Japão, e eleita a melhor líbero da competição. No ano seguinte, ficou com a 4ª posição nos Jogos Olímpicos de Atenas. Foi bicampeã do Grand Prix (2004 e 2006), sendo eleita a melhor líbero da competição na segunda conquista. Arlene ainda foi campeão da Copa Pan-Americana em 2006, em que também ficou como melhor líbero.

Sobre jogar pelo Concilig Vôlei Bauru, Arlene se diz muito feliz em poder voltar a disputar a elite do vôlei nacional. “Estou muito feliz pelo convite da diretoria do Concilig, pela indicação do Fernando, e de poder voltar a jogar por uma equipe de elite do vôlei nacional. Não vejo a hora de treinar e disputar jogos por Bauru, pois estou muito motivada em participar de um projeto tão sério como esse. Posso garantir que alegria e vontade da minha parte nunca vão faltar.”

Arlene também está ansiosa em trabalhar novamente com o técnico Marcos Kwiek, com quem disputou a Superliga 2007/08. “Tenho ótimas lembranças de trabalhar com o Marcos. Na temporada 2007/08 ele conseguiu um ótimo resultado à frente do Pinheiros, que tinha uma equipe mediana, ficando em terceiro lugar naquela Superliga, superando a forte equipe de Brusque, que contava com jogadoras como Erika e Elisângela. Foi o primeiro trabalho dele como técnico e ele mostrou pra que veio”, lembra com entusiasmo Arlene.

ATUAL ELENCO
Em relação ao elenco que disputou a última temporada pelo Concilig Vôlei Bauru, a diretoria da equipe esclarece que nenhuma atleta foi dispensada ou não teve o contrato renovado até o momento. “Por enquanto não temos nada decidido em relação aos contratos já vencidos ou que ainda vão vencer das atletas do atual elenco. O grupo está sendo montado com muita tranquilidade e com o objetivo de realizarmos uma temporada melhor que a anterior”, explica Reinaldo Mandaliti, vice-presidente do Concilig Vôlei Bauru.

Até o momento, apenas a oposta Bruna Honório e a central Carol tiveram os contratos renovados. Já a ponteira Mari Cassemiro e a levantadora Lyara possuem vínculo até o final da próxima temporada.
Divulgação

(SUPERLIGA) Rexona/Ades bate Vôlei Nestlé, empata série e força 3º jogo

Equipes igualaram a série semifinal contra as osasquenses (Foto: Divuldagação/CBV)

O Rexona-AdeS (RJ) deixou tudo igual no playoff melhor de três das semifinais da Superliga feminina de vôlei 15/16. Nesta sexta-feira (25.03), a equipe carioca superou, de virada, o Vôlei Nestlé (SP) por 3 sets a 1 (21/25, 25/22, 25/23 e 25/16), em 2h17 de jogo, no ginásio do Tijuca, no Rio de Janeiro (RJ).
O terceiro e decisivo jogo da série será disputado na próxima segunda-feira (28.03), às 18h30, no ginásio do Tijuca, no Rio de Janeiro. O SporTV transmitirá ao vivo. 
A levantadora Roberta, que entrou na partida no segundo set, teve atuação destacada, foi eleita a melhor em quadra em votação popular no site da CBV e ficou com o Troféu VivaVôlei. Ao final do confronto, a jogadora comentou sobre a atuação das cariocas no duelo desta sexta-feira.
“Fico muito feliz em ter estado dentro da quadra e ajudado o Rexona-AdeS a conseguir esse resultado. Como eu vim do banco tenho que ajudar as meninas com o que eu observo da partida. O time também me deixou bem tranquila e me deu muita força. Ainda tivemos muitos erros hoje e temos que melhorar isso para segunda-feira”, afirmou Roberta.

A ponteira Natália, do Rexona-AdeS, foi a maior pontuadora do confronto, com 21 pontos.
Pelo lado do Vôlei Nestlé, a levantadora Dani Lins lamentou as oportunidades perdidas pela equipe de Osasco, mas lembrou que ainda tem muita Superliga pela frente.
“Não soubemos aproveitar os sets que abrimos na frente como no terceiro. Tivemos muitos erros, bem mais do que na primeira partida. Sabíamos que ia ser difícil aqui, como foi. Tínhamos duas chances e agora vamos para a segunda. Perdemos hoje, mas a guerra continua”, garantiu Dani Lins.
REXONA-ADES – Thompson (1), Monique (11), Gabi (13), Natália (21), Juciely (17) e Carol (10). Líbero – Fabi
Entraram – Drussyla (2), Roberta (4) e Lorenne (0).
VÔLEI NESTLÉ – Dani Lins (4), Ivna (14), Carcaces (10), Gabi (9), Adenízia (7) e Thaísa (13). Líbero – Camila Brait 
Entraram – Suelle (0), Diana (0) e Lise (1).
 
Divulgação

quarta-feira, 24 de julho de 2013

(GRAND PRIX) Ingressos começam a ser vendidos nesta 6ª

Etapa brasileira acontece em Campinas/SP (Foto: Divulgação/CBV)

Os ingressos para a primeira etapa do Grand Prix 2013, que será disputada na Arena Amil, em Campinas (SP), de 2 a 4 de agosto, começarão a ser vendidos no dia 26 de julho, a partir das 10h. Os torcedores poderão adquirir suas entradas pelo site Tickets for Fun (www.ticketsforfun.com.br), pelo call center 4003-5588 (custo de ligação local + impostos) ou nos pontos de venda citados abaixo até os ingressos se esgotarem.

Nesta primeira etapa, a seleção feminina enfrentará Polônia (dia 2, às 19h), Rússia (dia 3, às 10h) e Estados Unidos (dia 4, às 10h).

Cada ingresso custará R$ 60. Será permitida a compra de até quatro entradas por CPF.

BILHETERIAS DO GINÁSIO

As bilheterias da Arena Amil estarão abertas nos dias e horários abaixo. No entanto, somente haverá venda no ginásio caso as entradas ainda não estejam esgotadas.

30/07 e 01/08: das 10h às 18h (ou até esgotarem os ingressos)
02/08: das 12h às 20h (ou até esgotarem os ingressos)
03/08: das 7h às 16h (ou até esgotarem os ingressos)
04/08: das 7h às 11h30 (ou até esgotarem os ingressos)

MEIA-ENTRADA

Idosos com idade igual ou superior a 60 anos (Lei Federal nº 10.741/2003 e Lei Estadual nº 12.548/2007), professores da rede pública estadual de educação e das redes municipais de educação no estado de São Paulo (Lei Estadual nº 10.858/2001 alterada pela Lei Estadual nº 14.729/2012) e estudantes (Lei Estadual nº 7844/92) terão direito a meia-entrada.

Divulgação

(COPA SP) Federação Paulista divulga tabela da edição feminina

Sesi-SP é o atual campeão da competição (Foto: Divulgação/FPV)

A Copa São Paulo Feminina de Voleibol, evento de preparação para o Campeonato Paulista da Divisão Especial 2013, começará no dia 9 de agosto. Com a participação de sete das oito equipes do Paulistão, Vôlei Amil, Sesi-SP, Pinheiros, Uniara/AFAV, São Bernardo, São Cristovão Saúde/São Caetano e Jacareí/Sedex, o torneio será em turno único. Passarão para a final os dois melhores clubes, que definirão o título em partida única. Vale lembrar que o Osasco, atual campeão estadual, está fora da competição neste ano.


O Departamento Técnico da FPV divulgou nesta terça (23) a tabela da competição, entre os meses de agosto e setembro, sendo que na rodada de abertura, dia 9, jogarão Sesi/SP x Jacareí-SP/Sedex, às 19h, no Sesi Vila Leopoldina, em São Paulo; E.C. Pinheiros x São Cristovão/São Caetano, às 19h, no E.C. Pinheiros, também na capital paulista; e Uniara/APAV x São Bernardo, às 20h, no Ginásio da Pista, em Araraquara. A tabela completa pode ser obtida pelo link http://www.fpv.com.br/bd/vq_catcamjg.asp?camp=C&cat=A&naipe=F&div=

Tradicional disputa do calendário paulista, a Copa São Paulo funciona como aperitivo de luxo para o Paulistão. Além disso, trata-se de um torneio que possibilita a oportunidade para as equipes ganharem ritmo de jogo após toda a dura fase de preparação da temporada. Afinal, muitos clubes terão pela frente o regional, a Superliga ou a Liga Nacional. 

A Copa São Paulo Feminina de Voleibol também adotará o novo sistema de pontuação válido para o Paulista Masculino. Os sets serão de 21 pontos, com a diferença mínima de dois pontos, permanecendo o tié-break até 15 pontos (também com diferença mínima de dois pontos).

No ano passado, o Sesi-SP ficou com o título ao bater na decisão o E.C. Pinheiros. As duas equipes, ao lado do Vôlei Amil, vice-campeão estadual em 2012, surgem como principais forças do torneio.

Divulgação

terça-feira, 23 de julho de 2013

(LIGA MUNDIAL) Bruninho, Lucarelli e Mário Jr na seleção do campeonato; Pavlov MVP

Oposto russo, Pavlov, foi eleito o jogador mais valioso (Foto:Divulgação/FIVB)

SELEÇÃO DO CAMPEONATO:


MVP: Nikolay Pavlov (RUS)
Ponteiros: Lucarelli (BRA) e Ivan Zaytsev (ITA)
Centrais: Emanuele Birarelli (ITA) e Dmitriy Muserskiy (RUS)
Oposto: Tsvetan Sokolov (BUL)
Levantador: Bruninho (BRA)
Líbero: Mário Jr. (BRA)

Universo do Vôlei

(LIGA MUNDIAL) Rússia vence mais uma decisão contra o Brasil e fatura o tri

Russos venceram o Brasil por 3 a 0 (Foto: Divulgação/FIVB)

O Brasil entrou em quadra com uma equipe renovada, que buscava o primeiro título desse novo ciclo olímpico. Mas, do outro lado da quadra, estava a Rússia, atual campeã olímpica que, neste domingo (21.07) levou a melhor e venceu por 3 sets a 0 (25/23, 25/15 e 25/19), em 1h24, no jogo realizado no ginásio Islas Malvinas, em Mar del Plata, na Argentina. Com o resultado, os russos ficaram com a medalha de ouro da Liga Mundial 2013, os brasileiros levaram a prata e a Itália, que venceu a Bulgária também neste domingo, conquistou o bronze.

Antes de chegar a Fase Final, onde estavam seis equipes, o Brasil conquistou nove vitórias em dez jogos e garantiu a classificação em primeiro lugar do Grupo A. Já na etapa decisiva, a seleção brasileira perdeu para a própria Rússia no primeiro jogo, por 3 a 2, venceu o Canadá por 3 a 0, e, na semifinal, bateu a Bulgária por 3 a 1. Ao todo, foram dez vitórias e duas derrotas.

Neste domingo, o capitão Bruno destacou a importância de estar na decisão e projeta um bom futuro para o atual grupo do Brasil.

“Chegamos a mais uma final e isso é sempre bom, mas só chegar não adianta muito. Queremos vencer sempre, estamos acostumados a isso, e perder deixa todos tristes. Por outro lado, sabemos que esse time ainda tem muito a crescer. Mostramos bons momentos durante a competição e temos que enaltecer esse ponto. O que deu de errado, temos que corrigir para as próximas competições”, disse Bruninho.

Jogador mais experiência da seleção, o ponteiro Dante sabe que a derrota também ensina – especialmente a um grupo jovem como o do Brasil.

“Hoje foi o jogo da Rússia. Eles defenderam muito bem. Eu joguei na Rússia três anos e sei que isso não é normal deles. Mas eles imprimiram um ritmo de saque muito forte e nós não soubemos lidar com essa situação. Abrimos uma boa vantagem no primeiro set e precisávamos ter aproveitado aquele momento. Jogando na frente, eles são quase imbatíveis. Agora temos que levantar a cabeça o mais rápido possível e aprender com a derrota. Temos um grupo jovem, que tem tudo para dar certo, e ainda temos que construir a nossa identidade”,

Brasileiros ficaram com a medalha de prata (Foto: Divulgação/FIVB)

O técnico Bernardinho elogiou o desempenho do adversário nesta final e fez questão de destacar o valor do novo grupo do Brasil.

“Mérito da Rússia nesse jogo de hoje. Sabemos que o caminho é longo e esse grupo ainda tem muito a evoluir. Temos que reagir rápido e trabalhar para seguir na busca pelos sonhos. Criou-se uma certa ilusão, uma expectativa, com a boa campanha nessa Liga Mundial, e alguns jogadores sofreram com isso. Essa é a primeira competição oficial deste novo ciclo. O time não foi tão bem na final e isso é completamente natural diante de tanta responsabilidade e expectativa que foi criada”, comentou Bernardinho.

O JOGO

O Brasil saiu na frente e, contando com erros do adversário, fez 5/0. Neste momento, o técnico da Rússia pediu tempo. A seleção brasileira seguiu no comando do jogo (7/3), mas os russos buscaram e chegaram ao empate em sete pontos. No bloqueio de Pavlov, a Rússia passou a frente (10/9). Neste momento, os adversários passaram a controlar o set e abriram quatro: 15/11. No ace de Isac, o Brasil reduziu a diferença para 15/13. Foi, então, a vez dos brasileiros encostarem, ficando apenas um ponto atrás (16/15). A parcial seguiu equilibrada. Depois de uma bola bem disputada, o Brasil pontuou e deixou tudo igual: 19/19. No ataque de Lucarelli, o time verde e amarelo assumiu o comando do placar (21/20). Quando a Rússia fez 23/22, Bernardinho pediu tempo. Mas o adversário seguiu pontuando e fechou em 25/23.

Rússia faturou o tricampeonato da Liga Mundial (Foto: Divulgação/FIVB)

O segundo set teve equilíbrio até o segundo ponto de cada time. Depois, a Rússia abriu (6/2) e forçou o técnico Bernardinho a pedir tempo. O Brasil passou a pontuar mais e, no bloqueio de Wallace, reduziu a vantagem adversária para apenas um ponto 8/7. A parcial seguiu apertada. Mas, cometendo alguns erros, o time brasileiro acabou facilitando para a Rússia, que fez 15/10. A vantagem ainda aumentou quando, com ponto direto de saque, o russos fizeram 19/12. A partida seguiu favorável ao time da Rússia, que venceu também o segundo set, desta vez, por 25/19.

O gigante Muserskiy, de 2m18, abriu o placar do terceiro set. O Brasil pontuou e, com dois pontos diretos de saque seguidos de Sivozhelez, a Rússia fez 5/2. Neste momento, Bernardinho pediu tempo. Mantendo a boa sequência de saque, os russos chegaram a 7/2 e, no ataque para fora do Brasil, fez 8/2. A vantagem da seleção da Rússia passou para oito pontos (12/4) e o técnico brasileiro parou o jogo. O pedido de tempo surtiu efeito e, enquanto os russos fizeram um ponto, os brasileiros marcaram quatro vezes (12/8). Mas a parcial seguiu melhor para o adversário, que abriu seis pontos na reta final: 21/15. No erro de saque da Rússia, o Brasil fez 22/18 e, na sequência, fechou em 25/19.

Divulgação

domingo, 21 de julho de 2013

(LIGA MUNDIAL) Itália vence Bulgária no tie-break e fatura bronze

Itália faturou a medalha de bronze (Foto: Divulgação/FIVB)

Após nove anos, a Itália voltou a figurar entre as três melhores seleções na Liga Mundial. Neste domingo (21), em Mar del Plata, a Azurra conquistou a medalha de bronze ao vencer a Bulgária no tie-break parciais de 21/25, 25/21, 25/20, 21/25 e 15/7, em duelo que durou 2h16.

Sem o capitão Savani em quadra, Mauro Berruto, técnico da seleção italiana, escalou Zaytsev como ponteiro e lançou o oposto Vettori como titular na posição. E o jovem atacante não decepcionou. Foi o maior pontuador do confronto com 29 pontos (27 ataques, 1 bloqueio e 1 saque). Pela Bulgária, o capitão Aleksiev anotou 20.

A última vez que os italianos subiram no pódio foi em 2004 quando terminaram com a medalha de prata ao serem derrotados pelo Brasil na decisão realizada em Roma.

Universo do Vôlei

domingo, 25 de novembro de 2012

(SUPERLIGA) Herrera marca 33 e lidera vitória do Praia Clube sobre São Bernardo

Herrera marcou 33 pontos na vitória do Praia Clube (Foto: Divulgação)

A cubana Yusleyni Herrera marcou 33 pontos e foi o grande nome do Banana Boat/Praia Clube, de Uberlândia (MG), na vitória, de virada, por 3 a 1, sobre o São Bernardo Vôlei, na abertura da Superliga feminina, parciais de 21/25, 25/17, 25/14 e 19/27.

O time mineiro contou com o apoio de um ginásio lotado, mas começou jogando mal. A recepção das donas da casa apresentou falhas e junto com erros seguidos de ataque, o São Bernardo aproveitou e abriu vantagem e chegou a 16 a 12, no segundo tempo técnico. Herrera chegou a comandar uma pequena reação e o placar ficou em 19 a 18, para as paulistas, mas com erros excessivos do time de Uberlândia, o São Bernardo fechou o set em 25 a 21 depois que a cubana pisou na linha de três metros em um ataque do fundo de quadra.

No segundo set o Praia Clube voltou melhor e os erros diminuíram, principalmente de recepção. Herrera passou a acertar no ataque e o meio de rede começou a funcionar e as mineiras venceram por 25 a 17. O terceiro set começou muito equilibrado, mas as paulistas passaram a apresentar os mesmos erros do set anterior e a equipe de Uberlândia abriu vantagem de 14 a 9, mas o São Bernardo reagiu e encostou no marcador. Com boas jogadas pelo meio, mais uma vez, a equipe de Minas Gerais abriu vantagem em ataques precisos, bolas no bloqueio e venceu por 25 a 14.

Com tranquilidade, o Praia Clube deu impressão de que iria definir o set, com tranquilidade. O marcador apontava 23 a 18 para o time da casa, quando Renatinha começou a viarar todas as jogadas e comandou uma reaçõa espetacular do São Bernardo, que virou para 25 24. No final, a cubana Herrera prevaleceu e as mineiras venceram por 29 a 27.

Na terça-feira, 27, o Praia Clube irá visitar o Pinheiros, em São Paulo (SP) e o São Bernardo irá até Osasco (SP) enfrentar o Sollys/Nestlé.

Divulgação

(SUPERLIGA) No jogo de abertura, Sesi-SP vence Pinheiros

Sesi-SP estreou com o pé direito na Superliga (Foto: Divulgação/Sesi)

E a primeira vitória da Superliga Feminina 12/13 foi do Sesi-SP. Nesta SEXTA-FEIRA (23.11), na tão aguardada rodada de abertura da principal competição do voleibol brasileiro, a equipe derrotou o Pinheiros (SP) por 3 sets a 1 (25/19, 8/25, 25/19 e 25/20), em 1h53 de jogo, no ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo (SP).


Mesmo com seis medalhistas olímpicas em quadra (Carol Albuquerque, Dani Lins, Elisângela, Fabiana, Sassá e Tandara), o Sesi-SP não teve facilidade jogando em seu ginásio. Muito pelo contrário. As parciais foram bem disputadas e, no único set que venceu, o Pinheiros passeou em quadra, aplicando 25 a 8.

Porém, não foi uma medalhista de ouro em Pequim/2008 nem em Londres/2012 que levou o Troféu VivaVôlei como melhor jogadora da partida. Coube à ponteira Ingrid tal honraria. Porém, a maior pontuadora do jogo esteve do outro lado da quadra: a também ponteira Andreia, do Pinheiros, anotou 22 pontos.

Talmo Oliveira, técnico do Sesi-SP, relatou como foi o jogo e o desempenho de sua equipe. Segundo ele, o adversário só teve amplo domínio mesmo no segundo set, que chamou a atenção pelo placar mais elástico.

“O Pinheiros teve uma sequência boa de saques no segundo set e não conseguimos rodar. A equipe delas ainda obteve um volume de defesa muito grande. Mas dominamos os outros três sets. Estreia é sempre difícil. Além disso, foi a primeira vez que coloquei esse time para jogar junto. Fui obrigado até a mudar algumas jogadoras de posição, como a Sassá, por exemplo. Valeu pela dedicação e superação”, avaliou Talmo.

Divulgação

terça-feira, 11 de setembro de 2012

(POLONÊS) Após 27 horas de voo, Érika chega à Polônia

Érika já está na Polonia (Foto: Divulgação)

Exatamente às 16:15hs no dia 09 de setembro, no aeroporto de Gdansk. Lech Walesa, o avião pousou com Erika Coimbra a bordo. A atleta brasileira vai juntar-se aos campeões poloneses nesta segunda (10/09).


Cansada, mas sorridente Erika foi apresentada aos jornalistas em uma sala de conferências no aeroporto de Gdansk.

"É claro que estou muito cansada. Saí do Brasil no sábado e cheguei apenas hoje (domingo)",  disse imediatamente após a chegada. "No total meu vôo durou 27 horas!".

Esta não é a primeira viagem ao país de Erika, as duas visitas anteriores foram com a seleção junior em Gdansk em 1997, e depois com a equipe do Galatassary quando jogou uma partida do campeonato europeu. Depois da partida, Erika e as companheiras foram visitar Auschwitz para aprender sobre a história do lugar.

Por experiências anteriores não muito positivas, Erika sempre declarou que sua vontade seria jogar no Brasil. Questionada pela imprensa polonesa, o porque de ter assinado um contrato com a equipe campeã polaca, Erika falou:

"Eu queria ter uma experiência nova, e jogar no Atom é motivo de orgulho para mim. No ano passado, jogaram atletas muito bons aqui, da Turquia e dos Estados Unidos. É para mim um momento muito importante, porque eu estou na frente de uma porta recém-aberta. Quando eu vi o time e quem jogou aqui, eu pensei comigo mesma: "Eu gostaria de jogar lá!!"

"Kiki" admite que uma razão muito importante também é saber que a liga polaca é forte e terá a chance de enfrentar, grandes jogadoras.

"A equipe é muito boa, ficou bem colocada na última edição da Liga Mundial. Eu também sei que este esporte é o esporte nacional hoje"

Ao saber que os fãs poloneses são incríveis e o ginásio, a ERGO ARENA também, Erika sabe que terá um grande apoio das arquibancadas.

Um dado momento da entrevista um reporta perguntou : "Você tem medo de alguma coisa?- As duas primeiras semanas será certamente muito difícil, porque tudo é novo para mim, incluindo a rotina - explica.

No entanto, nem tudo é novo, pelo menos não totalmente, Erika já conhece um pouco do seu novo técnico o italiano Matlak, e algumas de suas novas companheiras de equipe como Anna Podolec e Mariola Zenik.

"Além destes, com certeza outros atletas, mas por agora é difícil para mim lembrar os nomes - são complicados (Risos).

Erika certeza de que ele faria todo o possível para apresentar-se bem antes de público Sopot.

"A equipe é forte e eu espero que nós entendemos bem. Eu preciso treinar e trabalhar muito. Espero que depois de todo nosso esforço, possamos ter uma boa equipe", encerrou.

Divulgação

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

(SUL-AMERICANO DE CLUBES) Bicampeões, Serginho e Douglas Cordeiro já miram Mundial

Em 98, com a camisa do Minas, Serginho e Douglas sagram-se campeão pela 1ª vez

Para o central Douglas Cordeiro e o líbero Serginho, o título do Sul-Americano tem um sabor em dobro. Em 1998 eles foram campeões pela primeira vez pelo Minas Tênis, mas naquela época não havia o Campeonato Mundial, que agora recebe todas as atenções do grupo celeste.


“Conquistar esse título de novo para mim é um sonho. E agora é ainda mais importante, pelo que a nossa equipe vem conquistando, pelo que representa esse resultado. E ainda vamos ao Qatar, defender as cores do nosso time no Mundial”, disse Douglas.

Serginho, eleito o melhor líbero da competição, reforçou que o título do Sul-Americano é um degrau para outro grande objetivo. “Fico feliz com esse reconhecimento, mas o mais importante é o resultado de todo o grupo e esse troféu de campeão que levamos para casa. Conseguimos aqui no Chile uma parte importantíssima da nossa conquista. O objetivo maior ainda está por vir, que é o Mundial”, disse.

Divulgação

(SUL-AMERICANO DE CLUBES) Sada domina premiação individual

Cruzeirenses 'abocanharam' quatro premios individuais (Foto: Divulgação)

Os Melhores do Sul-Americano de Clubes 2012:

MVP: Evandro Guerra (UPCN)
Melhor atacante: Wallace (Sada/Cruzeiro)
Melhor bloqueador: Acácio (Sada/Cruzeiro)
Melhor sacador: Estaban Grimalt (Linares)
Melhor levantador: William (Sada/Cruzeiro)
Melhor defensor: Sebastian Garrocq (UCPN)
Melhor passador: Herrera (Huracanes)
Melhor líbero: Sérgio Nogueira (Sada/Cruzeiro)

Universo do Volei

(SUL-AMERICANO DE CLUBES) Sada é campeão invicto e garante vaga no Mundial

Cruzeirenses só perderam um set na competição (Foto: Divulgação)

O Sada/Cruzeiro é o campeão Sul-Americano de Clubes de 2012. Em um jogo disputadíssimo nesse domingo, 09/09, em Linares, no Chile, o time celeste derrotou o argentino UPCN San Juan de virada, por 3 sets a 1, parciais de 19/25, 25/18, 25/17 e 28/26, e conquistou o título inédito da competição, considerada a “Libertadores do Vôlei”. Além do troféu, o Sada Cruzeiro ganha também o direito de representar a América do Sul no Campeonato Mundial de Clubes, que será disputado em outubro, em Doha, no Qatar.


O time celeste chegou à decisão no Chile com 100% de aproveitamento, sem perder nenhum set. Foram quatro vitórias seguidas na fase classificatória, sobre o Carmelo Rowing (Uruguai), Deportivo Colon (Paraguai), Deportivo Linares (Chile) e contra o próprio UPCN (Argentina). O troféu de bronze ficou com o Huracanes da Venezuela, que venceu o chileno Linares por 3 a 1.

Com 17 pontos o ponteiro Filipe foi o maior pontuador na decisão contra os argentinos. Os centrais Douglas Cordeiro e Acácio tiveram 15 acertos cada. Wallace marcou 14 vezes e Maurício nove. Na equipe argentina o atacante Evandro também marcou 17 pontos.

O jogo foi emocionante. O UPCN abriu o placar em 1 a 0 com um bom saque e defesa. No segundo e terceiro sets o Sada Cruzeiro mudou a estratégia de saque, impôs seu ritmo no ataque e fechou com certa tranquilidade. No quarto e último set o UPCN reagiu e teve vantagem desde o início. O Sada Cruzeiro conseguiu o empate em 21 a 21, em uma sequencia de saques de Filipe. Os argentinos ainda tiveram três set points, mas Filipe fez o ponto do jogo em um contra-ataque, finalizando em 28 a 26.

Após a partida os jogadores cruzeirenses comemoraram muito em quadra, ao som de samba colocado pela organização, e depois o hino nacional brasileiro. No pódio, além do troféu, estavam a bandeira do Cruzeiro e também a camisa do central Rogério, lesionado uma semana antes da viagem e que permaneceu em Belo Horizonte.

O título inédito conquistado no Chile coroa uma temporada de muito sucesso para o Sada Cruzeiro, que foi também foi campeão da Superliga em abril de 2012.

“Para mim é um orgulho fazer parte desse grupo. É muito lindo o que estamos fazendo. Daqui a alguns anos vamos nos lembrar disso. Agora é comemorar e começar a pensar nas finais do Mineiro e no Campeonato Mundial”, disse o capitão e levantador William, emocionado.

“É um título muito importante para a história do clube, tanto para o Cruzeiro quanto para o Grupo Sada. Estamos muito felizes, mas ainda temos muito a alcançar”, destacou o treinador Marcelo Mendez.

Sada Cruzeiro – William, Wallace, Douglas Cordeiro e Acácio, Filipe e Maurício e o líbero Serginho. Entraram Daniel, Túlio, Sanchez e Rafael. Técnico: Marcelo Mendez

UPCN – Bengolea, Evandro, Gonzalez, Peres Lopes, Junior, Ramos e o líbero Garrocq. Entraram Tell, Molina e Salvo. Técnico: Fabian Armoa

Divulgação