Páginas

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

(PAULISTA) Pela vice-liderança, Sandro diz que é preciso 'vencer ou vencer' a Medley

Para o levantador Sandro do SESI-SP, o clássico - e uma vitória - nesta terça-feira diante da Medley/Campinas é essencial para o time da capital paulista buscar a segunda colocação no torneio regional. Com dois jogos a menos do que as outras equipe - devido à disputa do Mundial de Clubes no Catar - o time do camisa 5 não quer mais um tropeço pelo caminho.

"Precisamos no jogo de amanhã não oscilar tanto de um set para outro como fizemos na derrota para São Bernardo. No jogo contra São José já conseguimos manter um padrão a partida toda e isso será essencial nesse duelo contra Campinas já que nossa meta é sim a segunda colocação para que, no playoff, possamos ter a vantagem de decidir em casa", declarou Sandro.

No primeiro turno a equipe do levantador Sandro acabou perdendo para o time de Campinas por 3 sets a 2 no Ginásio do Taquaral, por isso o levantador só pensa na vitória. "É vencer ou vencer, não tem outro jeito. Estamos retomando nosso padrão de jogo de quando saímos para o Mundial. O clássico de amanhã tem tudo para ser um grande jogo, como foram os outros que disputados contra eles. Sem contar que eles terão o Zanuto, que no jogo do primeiro turno não atuou e ele é um grande jogador", acrescentou.

O SESI é o quinto colocado no Campeonato Paulista com 16 pontos conquistados em seis vitórias e quatro derrotas. Já a Medley/Campinas é a atual terceira colocada com sete vitórias e quatro derrotas em onze jogos disputados. O clássico acontece nesta terça-feira, 1o de novembro, às 19h30 no Ginásio da Vila Leopoldina em São Paulo.

Divulgação
Foto - Divulgação

(MINEIRO) Sada/Cruzeiro enfrenta o Olympico em BH nesta terça

Cruzeirenses buscam a reabilitação no Estadual (Foto: Divulgação)

Pelo Campeonato Mineiro de Vôlei o Sada Cruzeiro joga em Belo Horizonte nesta terça-feira, às 20h, contra o Olympico Blumenau Martminas. O jogo válido pela fase classificatória será disputado no ginásio do adversário, no bairro Serra (Rua Estevão Pinto, 783). A entrada é gratuita. Nesta segunda, a partir das 18h, o elenco de Marcelo Mendez já treina no local do jogo.

Com três vitórias e uma derrota o time celeste conquistou até agora nove pontos no campeonato e está em terceiro lugar na tabela de classificação, com dois jogos a menos que o líder BMG Montes Claros e o segundo colocado Vivo Minas.

No jogo de ida contra o Olympico, no ginásio de Contagem, o Sada Cruzeiro venceu por 3 sets a 0. Agora, na casa do adversário, o time celeste vai tentar manter a escrita para ganhar posições na tabela, visando a fase decisiva do Estadual.

O Olympico joga o Mineiro com um elenco reforçado, em parceria com o time de Blumenau-SC, que por vários anos disputa a Superliga. A equipe é a quarta colocada, com oito pontos, sendo três vitórias e três derrotas.

“O time do Olympico tem conseguido resultados muito bons neste Campeonato Mineiro, com duas vitórias sobre o Minas. Temos que entrar bem focados e impor nosso ritmo para fazer uma boa partida e buscar a vitória”, disse o central cruzeirense Rogério.

Divulgação

(MINEIRO) Campeão Pan-Americano, Wallace se apresenta ao Sada nos próximos dias

Ele foi um dos destaques da seleção brasileira no Pan-Americano de Guadalajara, teve o melhor ataque da competição e volta para casa com a sensação de dever cumprido. O oposto Wallace, do Sada Cruzeiro, chegou ao Brasil na tarde desta segunda-feira e vai ficar um pouco com a família em São Paulo. Ele se apresenta ao Sada Cruzeiro, em Belo Horizonte, nos próximos dias e traz consigo muita coisa além da medalha de ouro.

“É uma emoção sensacional estar no pódio, ganhar um título pela seleção brasileira, não tem outra palavra para explicar. Essa competição me mostrou o quanto estou mais maduro e tenho que continuar crescendo. Vou voltar para o Sada Cruzeiro melhor, com certeza. Estou bem diferente. Cada campeonato que passa é uma vivência a mais para mim. Estou feliz demais”, afirmou o jogador de 24 anos, que foi convocado para a seleção brasileira pela primeira vez em 2010.

“Só tenho a agradecer ao pessoal que me recebeu muito bem nesse grupo e me ajudou a jogar. Os outros jogadores e a comissão técnica da seleção me passaram muita tranqüilidade. Meu objetivo era ganhar experiência. Em um primeiro momento eu não achava que ia ser titular no Pan. Eu estava ali e qualquer coisa que precisassem eu ia estar sempre à disposição. Mas eu estava bem. O outro Wallace (Martins) é show de bola, me ajudou muito”, conta o jogador.

O ponteiro Maurício, do Sada Cruzeiro, também foi campeão Pan-Americano em Guadalajara. O jogador se submeteu a uma cirurgia no pé direito no início desta temporada e agora volta a defender o Brasil. Em 2010 Maurício foi campeão da Liga Mundial com a seleção.

Divulgação
Foto - Luiz Pires/Vipcomm

(MINEIRO) Jogadores do BMG/Montes Claros confiantes para a reta final do Mineiro


Em casa, Montes Claros encara algoz Sada/Cruzeiro nesta sexta-feira (Foto: Divulgação)

Faltando apenas dois jogos para encerrar a fase de classificação do Mineiro, o BMG/Montes Claros segue líder da competição. A equipe, que está em sua terceira temporada, perdeu apenas uma partida no campeonato.

De comando novo e elenco remodelado para as competições deste ano, o BMG/Montes Claros começou bem a temporada, prometendo grandes resultados nas finais do estadual e na Superliga.

O central Alberto Mendes, um dos mais experientes do grupo, está a dois anos na equipe e comemora a boa fase. “Conseguimos vencer jogos difíceis neste início de temporada, o que prova para nós mesmos a qualidade do nosso grupo. Esse, aliás, é nosso segredo, o conjunto. O Manu (treinador) tem conduzido bem o elenco, e forçando a equipe a doar seu máximo nos treinamentos. O resultado disso reflete na quadra.”

Outro atleta que disputa sua segunda temporada na equipe é o líbero Fábio Paes. O jogador integrou no elenco na temporada passada, e neste ano estava em São Caetano, mas foi convidado a retornar para o time mineiro e já fez sua estréia na “nova” equipe.  Fábio estreou em um dia de superação pessoal. “Cheguei aqui em Montes Claros no começo de outubro. Após nossa primeira derrota no mineiro, para o Sada, o Manu me colocou no time titular e estreei na vitória por 3 a 2 sobre o Olympico/Blumenau, que vinha de duas vitórias sobre o Minas. Confesso que foi um jogo diferente para mim. Nesta semana perdi meu avô, e infelizmente não pude estar com minha família neste momento delicado. O grupo me deu muito apoio, fizeram 1 minuto de silencio e todos os jogadores e comissão técnica usaram uma pulseira preta como homenagem”, disse emocionado o jogador, que ainda completou, “espero que a partir de agora eu possa ajudar a equipe a conquistar os objetivos, queremos chegar na final do Campeonato Mineiro, trazer o título pra Montes Claros.”

Um dos destaques no ataque da equipe mineira, o ponta Léo Caldeira, chegou neste ano após passar algumas temporadas no exterior. Está muito satisfeito com o retorno ao país e por defender as cores do Pequi-atômico, “para mim está sendo uma experiência muito boa. Nunca tinha disputado um campeonato mineiro, o nível técnico é alto e todas as equipes estarão na Superliga. A equipe está no caminho certo. Queremos chegar bem nas finais do mineiro e fazer uma excelente Superliga. Particularmente estou treinando muito forte, quero ser campeão mineiro”, finalizou o jogador.

O próximo compromisso do BMG/Montes Claros pelo mineiro será nesta sexta-feira, dia 04/11, às 19h30, em casa, contra o Sada Cruzeiro, única equipe que venceu o Montes Claros no campeonato.

Divulgação

(PAULISTA) Medley/Campinas encara Sesi-SP de olho na vice-liderança

Contra Sesi, campineiros querem roubar a vice-liderança do São Bernardo (Foto: Divulgação)

O Medley/Campinas encara o Sesi-SP, amanhã (1), às 19h30, no Ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo, de olho na vice-liderança do Campeonato Paulista Masculino de Vôlei. O time campineiro está em terceiro lugar , com 18 pontos, atrás de BMG/São Bernardo (vice, com 19 pontos) e Vôlei Futuro (líder, com 24).

Já o SESI está em quinto, com 16 pontos, mas com apenas dez jogos, dois a menos que Vôlei Futuro e BMG, e um que o Medley/Campinas por ter participado do Mundial de Clubes, no Catar, no início de outubro, torneio que terminou em quarto lugar.

O treinador do time de Campinas, Cacá Bizzocchi, acredita que essa vitória fora de casa será importante para o Medley ganhar força na luta pela segunda posição. "Vamos para São Paulo com isso em mente. Ainda teremos dois jogos (Atibaia e São Caetano), mas o time está focado e disposto a cumprir esse objetivo", afirmou.

Bizzocchi também avalia que o bom desempenho do SESI-SP no Mundial tenha fortalecido o rival. No primeiro turno, os campineiros levaram a melhor e venceram por 3 sets a 2 no Ginásio do Taquaral.

"Eles têm um time forte, com jogadores de alto nível, como o Léo Mineiro, o Sandro, entre outros, que vêm embalados por essa experiência no Mundial de Clubes e levarão isso para a quadra", analisou o técnico.

O ponteiro André Lukianetz afirmou que o Medley não poderá se intimidar pelo fato de jogar fora de casa. "Será um jogo importante. Temos que jogar nosso vôlei e esquecer que vamos atuar fora de casa. Só assim sairemos com a vitória e, quem sabe, com a vice-liderança", completou o camisa 3.

Divulgação

(SUPERLIGA) Maracanãzinho e Ibirapuera recebem finais da Superliga 2011/12

Maracanãzinho será palco da final feminina (Foto: Divulgação/CBV)

O ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, e do Ibirapuera, em São Paulo, sediarão, respectivamente, as finais da Superliga feminina e masculina 2011/12. A maior competição interclubes das américas está prevista para começar no dia 9 de dezembro.

As finais da Superliga, em jogo único, ainda não tem datas definidas.

A última vez que o Maracanãzinho sediou as finais da Superliga foi na temporada 2008/09. Onde o Rexona/Ades (atual Unilever) e a Cimed (atual Cimed/Sky) sagraram-se campeões. Já o Ibirapuera recebeu as finais na temporada 2009/10. Na ocasião, o Sollys levantou a taça de campeão no feminino e a Cimed no masculino.


Ibirapuera recebe a final masculina (Foto: Divulgação/CBV)

Novidades

A 18ª edição da Superliga terá novidades. A primeira delas, é o novo sistema de pontuação por vitória. A inovação segue os moldes do que é usado há algum tempo no Campeonato Italiano e premia, além dos vitoriosos, os derrotados por placar de 3 a 2. A partir dessa temporada, a equipe que vencer um jogo por 3 sets a 0 ou 3 sets a 1 ganhará três pontos. Se o resultado for 3 a 2, o time vencedor ganhará dois pontos e o perdedor, um.


A outra novidade fica por conta da criação da "Superliga Masculina B" (segunda divisão da competição) que derá ao campeão vaga na série principal e será realizada paralelamente à "Superliga A". A Liga Nacional será mantida, mas com uma alteração: No naipe masculino o campeão e vice garantirão o acesso à "Superliga B", ao contrário do que acontecia nas edições anteriores. No feminino, nenhuma alteração. As duas equipes finalistas da competição garantem vaga a elite do voleibol feminino.

Universo do Vôlei

(COPA DO MUNDO) Sassá, Adenizia e Brait buscam reconquistar espaço na seleção

Sassá aposta no título do Brasil na Copa do Mundo (Foto: Divulgação/CBV)

Sassá, Adenízia e Camila Brait retornaram para a seleção feminina de vôlei para a disputa da Copa do Mundo do Japão. Depois de ficarem de fora dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, no México, onde o Brasil conquistou o tetracampeonato, ao vencer Cuba por 3 sets a 2, as brasileiras querem reconquistar espaço na seleção principal.

O momento do retorno não poderia ser mais adequado. A Copa do Mundo classificará três equipes para os Jogos Olímpicos de Londres, em 2012. O Brasil estreará no torneio na próxima SEXTA-FEIRA (04.11), contra os Estados Unidos. Para o treinador da equipe verde e amarela, José Roberto Guimarães, as três atletas têm uma função importante na seleção.

“As três são jogadoras importantes dentro da equipe. A Sassá é uma atleta que sempre compôs bem a seleção. É uma jogadora de momentos decisivos, que não sente a pressão, além de ser mais responsável pelo passe. A Adenizia está na briga com as outras jogadoras de meio. O ataque e a leitura das adversárias são as principais qualidades dela. Já a Camila Brait é uma excelente líbero, que está sendo preparada há alguns anos para o futuro da seleção. Tem como ponto forte a movimentação, a velocidade de recuperação e muita personalidade”, detalhou Zé Roberto.

Ao falar sobre seleção feminina de vôlei, Sassá abre logo um sorriso e garante que não foi fácil assistir ao Pan-Americano de casa. “Já tenho quase 10 anos de seleção e sempre que sai uma convocação a expectativa é grande. Tive poucas oportunidades de atuar esse ano pelo Brasil, mas estou sempre pronta para quando precisarem de mim. Assistir o Pan de casa foi estranho”, disse a jogadora, que também ressaltou o momento atual da equipe.

“O grupo está bem focado. O principal objetivo é conquistar a vaga para os Jogos Olímpicos, mas também queremos o título da Copa do Mundo, que falta para o Brasil”, afirmou Sassá.

Outra atleta que demonstra um grande carinho pela seleção brasileira é a central Adenizia. Segundo a meio de rede, que neste ano foi eleita a melhor bloqueadora do Mundial de Clubes, o corte as vésperas do Sul-Americano do Peru foi um momento difícil na carreira, porém já superado.

“Fui convocada para seleção adulta pela primeira vez em 2009 e fizemos uma festa enorme lá em casa. O sonho de toda jogadora de vôlei é estar na seleção brasileira. Quando fui cortada neste ano foi muito difícil. O meu sonho foi interrompido. O prêmio de melhor bloqueio no Mundial de Clubes foi um grande incentivo. Estar no grupo novamente é muito bom. Ainda tenho muito o que evoluir e meu objetivo é estar nos Jogos Olímpicos de Londres”, finalizou Adenizia.

Divulgação

(ITALIANO) Cuneo de Vissotto desafia Trentino, tricampeão mundial, pela Supercopa da Itália

Vissotto está motivado para conquistar a primeira Supercopa da Itália de sua carreira

Primeiro título da temporada 2011/2012 do voleibol italiano, a Supercopa estará em disputa nesta terça-feira. O ginásio PalaRockefeller, na cidade de Cagliari, irá abrigar o confronto entre o Bre Banca Lannutti Cuneo, time do brasileiro Leandro Vissotto e atual campeão da Copa da Itália, e o Itas Diatec Trentino, vencedor da última edição do campeonato nacional.

Para Vissotto, que defendeu o clube de Trento entre 2008 e 2010, o jogo terá um sabor especial. “Tive uma passagem excelente pelo Trentino, onde fiz muitos amigos, mas acabei não ganhando a Supercopa. Espero que dessa vez, com a camisa do Cuneo, eu tenha mais sorte e conquiste esse título de tanto prestígio aqui na Itália”, declarou o oposto.

SEM FAVORITISMO

Apesar de o adversário ter conquistado há menos de um mês o tricampeonato mundial de clubes, no Catar, Vissotto afirma que não favorito. “Não há como desprezar a força do Trentino, mas o Cuneo conta com um grupo com o mesmo padrão de qualidade. O jogo de amanhã (terça-feira) promete ser bastante equilibrado e, quem estiver em um dia melhor, certamente vai levantar a taça”, prevê o atleta campeão mundial com a seleção brasileira em 2010.

Divulgação

domingo, 30 de outubro de 2011

(MINEIRO) Em casa, Olympico/Ma​rtMinas vence UFJF e se recupera

Olympico se recuperou no Estadual (Foto: Havar Comunicação)

O Olympico/MartMinas se recuperou da derrota para o BMG/Montes Claros neste domingo, 30, e conquistou sua terceira vitória no Mineiro. Com placar de 3 sets a 1 sobre a UFJF, os tricolores conseguiram superar a equipe de Maurício Bara, que jogou com cinco novos atletas. Em disputa acirrada, o jogo teve parciais de 25/23, 24/26, 25/15 e 25/19. Com a derrota, o time de Juiz de Fora não tem mais chances de classificação.

Mesmo com a vitória, André Donegá, treinador do Olympico/MartMinas, viu defeitos na sua equipe, mas valoriza a qualidade de seus atletas. “Os dois times estavam muito ansiosos. Nós precisávamos da vitória para ficar entre os quatro e eles também precisavam para manter a esperança de classificação. Isso gerou um pouco de stress e ansiedade. Eu não gostei da minha equipe, que jogou muito acuada, porém conseguiu se superar através do conjunto e do ritmo mais forte no final”, afirmou o comandante.

Carlão, ponta Tricolor, concorda com seu treinador sobre a força do time. “A vitória aconteceu por causa do grupo, que está bem unido. Nós estamos vindo de uma sequência dura de jogos e o cansaço já começa a bater. Então, temos que dar o sangue mesmo, para, assim, chegar até as finais”, disse o camisa 1.

Para Maurício Bara, treinador juizforano, o grande número de erros de seu time já era esperado, pois contavam com a estreia de cinco novos atletas. “Seria irreal um jogo perfeito. Tivemos bons momentos na partida, mas cometemos muitos erros. Com isso, eles abriam vantagem e ficava difícil recuperar. Os novos atletas ainda jogaram pouco, mas já deu para ver o potencial da equipe”, afirmou o comandante.

Para o estreante Cilnty, da UFJF, a equipe da Zona da Mata ainda precisa de entrosamento. “Faltou comunicação nos momentos decisivos da partida. Ainda estamos nos conhecendo. Chegamos nesta semana e trabalhamos muito forte, mas precisamos treinar mais”, concluiu o atleta.

PRÓXIMOS JOGOS

Olympico/MarMinas volta jogar na terça-feira, primeiro de novembro, contra o Sada/Cruzeiro. Contando com o apoio de sua torcida, o Tricolor da Serra vai buscar sua quarta vitória na competição contra a equipe celeste, que precisa se reabilitar da derrota para o Vivo/Minas. Já a UFJF reencontra a equipe tricolor no seu próximo jogo, quinta-feira, 3. O time de Maurício Bara jogará em casa, mas, mesmo conquistando a vitória, não tem mais chances de classificação no campeonato.

Divulgação

(MINEIRO) BMG/Mackenz​ie vence, elimina Usiminas/Mi​nas e vai à final do Mineiro

BMG/Mackenzie enfrenta o Banana Boat/Praia Clube na final do Mineiro

Mackenzie superou o Minas no tie-break (Foto: Havar Comunicação)

Neste domingo, 30, o BMG/Mackenzie derrotou, em casa, a equipe do Usiminas/Minas e eliminou as adversárias no tie-break. O último jogo da primeira fase do Campeonato Mineiro Feminino de Vôlei foi muito disputado, pois definia os finalistas da competição. Com o resultado, o Tricolor, que já estava classificado, garantiu o direito de sediar a final, que será disputada contra o Banana Boat/Praia Clube. As parciais da partida foram 27/25, 25/13, 22/25, 20/25 e 15/12.

O treinador do BMG/Mackenzie, Ricardo Picinin, credita a vitória à força do seu grupo. “Fizemos um grande jogo. Vacilamos no terceiro e quarto set, mas o grupo é muito forte e teve vontade para vencer. A união da equipe é fundamental para nossa caminhada” disse o comandante, que ainda elogiou sua central Leticia Hage. “Ela tem um bloqueio muito forte. Esses fundamentos são necessários em jogos difíceis e ela nos ajudou muito”, finalizou Picinin.

A central tricolor, Leticia Hage, maior pontuadora da partida com 25 pontos, acredita que a equipe ganha ainda mais força com essa vitória. “Nosso grupo é jovem, mas tem muita gana. Vencer um clássico é muito importante para nós, então isso vai nos dar força para a final”, contou a central, que elogiou as colegas pela ajuda no bloqueio. “Fiz uma boa partida no bloqueio, mas não faço isso sozinha. A comissão técnica nos ajuda com os estudos de ataque dos adversários e as meninas me ajudam na marcação. O mérito disso é de toda a equipe” acrescentou a camisa 2.

Para Jarbas Soares, treinador do Usiminas/Minas, a equipe entrou mal, mas conseguiu reverter a situação. “Começamos o jogo muito abaixo do esperado. Tivemos chances, mas eles tiveram mérito. Conseguimos levar a partida para o tie-break e foram mais eficazes. Mereceram a vitória”, declarou Jarbas.

PRÓXIMOS JOGOS

A grande final do Campeonato Mineiro Feminino acontece no próximo dia 12, sábado, no ginásio do BMG/Mackenzie. O jogo será disputado pelas donas da casa, que tiveram a melhor campanha da competição, e o Banana Boat/Praia Clube. A equipe de Uberlândia levou a vaga pelo critério de desempate do campeonato, o set average, que consiste na razão entre os sets vencidos e perdidos por cada time.

Divulgação

(SUPERLIGA B) UTC recebe convite da CBV

O time de vôlei masculino da Politécnica/UTC foi convidado para disputar a Superliga B, competição que a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) organizará a partir deste ano, paralelamente à Superliga. O novo campeonato será a divisão de acesso para a elite do voleibol nacional, substituindo a Liga Nacional, que será equivalente à terceira divisão. O convite foi feito pelo presidente da Federação Mineira de Vôlei (FMV), Carlos Antonio Rios, o Carlão. A Superliga B terá oito equipes, sendo quatro vagas para São Paulo, duas para Minas (Olympico e Uberlândia) e mais duas para o sul do país.

Não foi definida uma data-limite para as inscrições, mas, segundo a assessoria da CBV, a entidade tem pressa em oficializar os nomes dos participantes, já que, pela primeira vez, a Superliga terá duas divisões e o começo de ambas é previsto para o começo de dezembro. Segundo o diretor da Fundação Uberlândia Tênis Clube (Futc), André Lelis, a equipe já está correndo atrás de novos patrocínios para viabilizar a participação do time uberlandense.

Correio de Uberlândia

(PAN-AMERICANO) Oposto Pereyra valoriza conquista do bronze do Pan pela Argentina

Pereyra (c) comemora com a medalha de bronze do Pan no peito (Foto: Reprodução/Twitter)

A medalha de bronze do torneio de vôlei masculino dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara teve sabor de ouro para a seleção argentina. Quem garante é o oposto Federico Pereyra, que assinalou 16 pontos na vitória deste sábado por 3 a 2 sobre o México, na disputa do terceiro lugar.


“Fizemos uma campanha muito boa aqui no México, perdendo apenas para Brasil e Cuba, que chegaram à final. E mostramos também um excelente preparo físico e técnico, pois disputamos cinco tie-breaks em menos de uma semana e vencemos quatro deles. Por tudo isso, o terceiro lugar do Pan é motivo de orgulho para todos nós”, afirmou o camisa 12 da Argentina.

DE VOLTA AO MOC

Pereyra já está viajando de volta para o Brasil. Nesta segunda-feira, o oposto deve se reapresentar ao BMG/Montes Claros para a disputa da reta final do Campeonato Mineiro.

Divulgação

(INTERNACIONAL) Lugano do ponteiro Kleist vence e se reabilita no Suíço

Kleist (dir) ouve as instruções do brasileiro Roberto Tietz, seu treinador no Lugano (Foto: Divulgação)

Após duas derrotas consecutivas, o Pallavolo Lugano obteve neste sábado sua reabilitação no Campeonato Suíço de Vôlei. O time do ponteiro Kleist, ex-Pinheiros, venceu em casa o CS Chênois por 3 a 0, parciais de 25/22, 25/16 e 25/23.

Com o triunfo, o Lugano passou a dividir o terceiro lugar da competição com o próprio Chênois, com 14 pontos cada. A liderança segue com o Schonenwerd, que também neste sábado venceu o lanterna Munchenbuchsee por 3 a 0 e chegou aos 18 pontos ganhos.

“O time sempre manteve um bom padrão de jogo, mas os resultados não foram os esperados nas duas rodadas anteriores. Hoje (sábado), mesmo diante de um adversário de muita qualidade, dominamos a partida o tempo todo e a vitória foi uma conseqüência natural disso”, comentou Kleist, em sua segunda temporada no time suíço comandado pelo técnico brasileiro Roberto Tietz.

O próximo compromisso do Lugano no campeonato será diante do Laufenburg, fora de casa, no dia 5 de novembro.

Divulgação

(ITALIANO) Vissotto é o maior pontuador em mais uma vitória do Cuneo na Itália

Vissotto encara o bloqueio do Ravenna para marcar mais um ponto para o Cuneo (Foto: Divulgação)

Como já virou rotina, Leandro Vissotto foi o principal pontuador em mais um jogo do Bre Banca Lannutti Cuneo no Campeonato Italiano de Vôlei. O oposto brasileiro somou nada menos que 19 acertos na vitória em casa sobre o CMC Ravenna por 3 a 0 (25/21, 28/26 e 25/12), em partida disputada neste sábado, na cidade de Cuneo, na abertura da sexta rodada da competição.


“Meu início de temporada aqui na Itália está sendo muito bom, graças também ao entrosamento com o (levantador) Nikola Grbic, com quem já havia jogado no Trentino. Espero manter essa boa sequência e ajudar a equipe a conquistar mais vitórias como a de hoje (sábado)”, declarou Vissotto, que pontuou nos três fundamentos: dez de ataque, sete de bloqueio e outros dois de saque.

VICE-LÍDER

Com o resultado, o Cuneo foi a 14 pontos, passando a dividir a vice-liderança do Campeonato Italiano com o Modena, que neste sábado perdeu em casa por 3 a 0 para o Trentino, novo líder com 15 pontos.

O time de Vissotto volta a jogar pela competição no próximo sábado, quando visita o San Giustino. Antes, na terça-feira, o Cuneo encara o Trentino, na cidade de Cagliari, no confronto único pela Supercopa da Itália.

Divulgação

(COPA DO MUNDO) Aniversariante, Tandara curte o bom momento na seleção

Tandara fez o ponto decisivo nos Jogos Pan-Americanos (Foto: Divulgação/CBV)

O ano de 2011 ficará marcado para a oposto Tandara. Em sua primeira temporada na seleção adulta, a jogadora já deixou seu nome escrito na história do vôlei brasileiro. Na final dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, no México, coube a atleta fazer o ponto que selou a vitória verde e amarela sobre Cuba por 3 sets a 2.

Neste DOMINGO (30.10), Tandara completou 23 anos ao lado das companheiras da seleção brasileira feminina de vôlei, em Kobe, no Japão. A comemoração foi discreta, apenas um bolo após o jantar. A atacante se prepara para disputar a Copa do Mundo, competição que classificará três equipes para os Jogos Olímpicos de Londres, em 2012. O Brasil estreará no torneio no dia quatro de novembro contra os Estados Unidos.

“Estou acostumada a passar datas especiais longe de casa. Os atletas têm que conviver com isso. O meu objetivo é conquistar a vaga olímpica, depois penso em comemorações. Estou vivendo muitas experiências novas e procuro aproveitar ao máximo cada uma delas”, afirma a jogadora.

Ao escutar a pergunta sobre o ponto decisivo do Pan-Americano, Tandara abre um sorriso e diz que traz somente boas recordações do torneio disputado em solo mexicano. “O Pan é uma competição muito legal. Tive contato com atletas que admiro como o Cesar Cielo e o Diego Hypólito. O último ponto da partida foi, sem dúvidas, o mais importante da minha vida. Nunca imaginei que iria disputar um Pan com 22 anos”, diz a atacante.

Além da decisão do Pan-Americano, a jovem jogadora recorda com carinho outra partida disputada pela seleção adulta. “Teve um jogo na primeira fase do Grand Prix deste ano, contra a Itália, que considero muito especial. Foi o primeiro que entrei e mostrei que podia estar jogando também”, lembra a oposto. A seleção feminina venceu a Itália pela segunda semana do Grand Prix por 3 sets a 1 e Tandara marcou sete pontos na partida.

Fora das quadras, a jogadora admite ter que controlar os gastos principalmente quando se trata de dois acessórios em especial. “Meus vícios são tênis e relógios. Meu pai fica brigando para eu não comprar tanto relógio”, brinca a atleta.

Zé Roberto: “A Tandara não sente os momentos mais complicados dos jogos”

Para o treinador José Roberto Guimarães, Tandara tem um grande potencial, além de não sentir a pressão nos momentos difíceis das partidas.

“A Tandara é uma jogadora jovem de 23 anos que está tendo uma chance mais efetiva nesse ano. Ela tem um grande potencial de ataque e bloqueio e saca muito bem, além de estar treinando recepção para ter uma evolução em todos os fundamentos. Ela também tem ajudado no desempenho da seleção entrando com bastante desenvoltura nas partidas. A Tandara não sente os momentos mais complicados dos jogos e tem se saído muito bem”, finaliza Zé Roberto.

Divulgação

(PAN-AMERICANO) Bruninho vibra com conquista de mais um Pan e prêmio de melhor levantador

 Bruninho (3o à esq) ao lado dos demais ganhadores de prêmios individuais no Pan de Guadalajara (Divulgação/Norceca)

Antes de embarcar para o México, Bruninho havia comentado sobre a importância que os Jogos Pan-Americanos têm em sua carreira. Por isso, a conquista da medalha de ouro pela segunda edição consecutiva, após a vitória deste sábado por 3 a 1 sobre Cuba, foi bastante comemorada pelo levantador.

“O ouro no Pan do Rio, em 2007, marcou a afirmação de minha trajetória na seleção. Eu estava bastante motivado para ajudar o Brasil a conquistar mais um título aqui em Guadalajara e fiquei muito feliz com a forma com que tudo aconteceu. A equipe foi sensacional, mostrando muita garra e dedicação para representar o País. Estão todos de parabéns”, destacou o camisa 1.

MELHOR LEVANTADOR

Como se não bastasse a alegria com o título, o capitão brasileiro no Pan ainda foi eleito o melhor levantador da competição. “A meta é sempre a conquista coletiva. Mas é claro que coroar a medalha de ouro com esse prêmio individual é uma motivação a mais. Dedico esse trofeu aos meus companheiros e a toda torcida brasileira, que passou muita força pra gente pelas redes sociais”, finalizou Bruninho, atleta do vôlei brasileiro de maior prestígio no Twitter com quase 180 mil seguidores no perfil @brunorezende1.

Divulgação

(PAN-AMERICANO) "É uma sensação ímpar" diz Rubinho após título

Roberley Leonaldo chegou aos Jogos Pan-americanos Guadalajara 2011 com a incômoda tarefa de substituir o treinador mais vitorioso do vôlei brasileiro. Mas a campanha do Brasil em solo mexicano provou que o Rubinho cumpriu bem o seu papel de comandar o time no lugar de Bernardinho. Mesmo com um grupo formado por vários jogadores ainda jovens, ele conseguiu levar o país ao lugar mais alto do pódio pela quarta vez na competição.

Mesmo já tendo vivido a sensação da conquista de títulos importantes como integrante da comissão técnica da seleção brasileira, Rubinho admitiu ter sentido uma emoção diferente após a conquista do ouro em Guadalajara. "Tô muito feliz. É uma sensação ímpar. Representar o Brasil e ganhar uma medalha . É um sonho realizado. Mas divido os méritos dessa conquista com o Bernardinho e toda a comissão técnica", comentou.

Rubinho destacou também o acerto na escolha do grupo que defendeu o Brasil nos Jogos. "Conheço bem o grupo que veio para cá. Fizemos uma mescla dos mais jovens com os mais experientes. Isso foi bom. A garotada precisava ver os mais velhos como espelho", disse o treinador, que já havia sido vice-campeão com a seleção brasileira em um Torneio-Teste para Londres 2012 e também na Universíade deste ano.

O sucesso do time em Guadalajara, segundo Rubinho, se deve também a forma como o trabalho foi encarado desde o início. "Nunca achei que essa era uma equipe secundária. Sempre coloquei que era um time defendendo o Brasil no Pan", explicou. Rubinho também defendeu a atuação do time na semifinal. "Não acho que o time tenha sido afobado. Jogar uma semifinal, às vezes, é mais difícil. O time entra pressionado e mais tenso. A partida, muitas das vezes, pode ser mais complexa do que a final", analisou.

Consciente de que o resultado alcançado pelo time na quadra é fruto de um trabalho a longo prazo, Rubinho lembrou todo o investimento feito pela Confederação Brasileira de Vôlei nas últimas décadas. "Não é da noite para o time que a gente consegue resultados como esse. Isso vem de um trabalho desenvolvido há 30 anos pela CBV. Hoje contamos com um grupo de 16 jogadores prontos para entrar no time principal a qualquer momento e dar conta do recado", afirmou, certo de que a medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos não vai acirrar a briga por uma vaga no time principal. "Não haverá qualquer problema de concorrência para Londres. O grupo é unido. Os jogadores sabem que estão prontos, mas que tudo tem a sua hora", finalizou.

Divulgação

(PAN-AMERICANO) Leon MVP; Bruninho, Mário Jr e Wallace Souza recebem prêmios

Bruninho, Mário Jr. e Wallace entre os melhores da competição (Foto: Divulgação/Norceca)

Os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara será menos amargo para o cubano Wilfredo Leon. Com a medalha de prata no peito, após sua seleção ser derrotada pelo Brasil na final, o jovem ponteiro foi eleito o Jogador Mais Valioso (MVP) da competição.

Pelo lado brasileiro, Bruninho foi eleito o melhor levantador, Mário Júnior teve a melhor recepção e Wallace Souza, o melhor ataque.


Confira dos Melhores do Pan:

MVP: Leon (Cuba)
Melhor atacante: Wallace Souza (Brasil)
Melhor defensor: Bann (Canadá)
Melhor levantador: Bruninho (Brasil)
Melhor bloqueador: Solé (Argentina)
Melhor passador: Mário Júnior (Brasil)
Melhor sacador: Hernandez (Cuba)
Maior pontuador: Contreras (México)
Melhor líbero: Mata (Venezuela)

Universo do Vôlei

(PAN-AMERICANO) Brasil bate Cuba e conquista o bi em Guadalajara

Brasil conquistou o quarto título em Jogos Pan-Americanos (Foto: Divulgação)

A seleção brasileira masculina de vôlei venceu Cuba, neste DOMINGO (30.10), por 3 sets a 1 (25/11, 24/26, 25/18 e 25/19), em 1h29, e levou o vôlei a 100% de aproveitamento nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara. Depois das medalhas de ouro da seleção feminina e das duplas de vôlei de praia, Alison/Emanuel e Juliana/Larissa, foi a vez da equipe masculina subir ao lugar mais alto do pódio.

Com o título conquistado em Guadalajara, o Brasil chegou ao tetracampeonato pan-americano (1963, 1983, 2007 e 2011).

E o oposto do Brasil também foi o maior pontuador na conquista deste domingo, com 21 acertos, sendo 15 de ataque, três de bloqueio e três de saque.

“Não caiu a ficha ainda. Nem esperava ser convocado para jogar um Pan-Americano. É muita responsabilidade. Mas agora estou feliz demais, pois merecíamos esse título. O trabalho foi muito bem feito e só tenho a agradecer a todos os jogadores que me receberam bem na seleção e que me passaram a tranquilidade necessária para conseguir jogar”, disse Wallace Souza.

Wallace: "Não caiu a ficha ainda" (Foto: Luiz Pires/Vipcomm)

O experiente Gustavo, um dos líderes do jovem grupo que representou o Brasil no Pan de Guadalajara, também comemorou muito a conquista da medalha de ouro.

“Cuba ataca muito alto, é difícil de bloquear e sabíamos que seria um jogo complicado. Mas esse é um grupo que queria muito o título, correu atrás, treinou e que deu o máximo neste Pan. É uma garotada de ouro. Estou muito orgulhoso de ter participado dessa conquista ao lado deles. Foi maravilhoso e todos estão de parabéns”, destacou Gustavo.

Técnico do Brasil no Pan, Rubinho ressaltou que o resultado conquistado neste domingo é a recompensa do trabalho realizado.

Brasleiros comemoram a conquista do título pan-americano (Foto: Luiz Pires/Vipcomm)

“Muito bom conseguir o que nos propomos a fazer. O tempo todo tive confiança nessa equipe, que trabalhou motivada e se dedicando ao máximo em cada treinamento. Hoje, eles fizeram um jogo muito bom, contra uma equipe forte e são merecedores desse resultado. É a recompensa do trabalho bem feito”, afirmou Rubinho.

Na final, o Brasil começou a partida com o levantador Bruno, o posto Wallace Souza, os centrais Gustavo e Éder, os ponteiros Thiago Alves e Lipe e o líbero Mário Júnior. Entraram Murilo Radke, Wallace Martins e Renato.

A equipe campeã pan-americana chega ao Brasil na segunda-feira (31.10), às 0h30, no vôo AM OO14, no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo.

DISPUTA DO BRONZE

Na disputa pela medalha de bronze, melhor para a Argentina, que venceu um jogo bem disputado contra o México. Os argentinos venceram por 25/18, 22/25, 20/25, 25/22 e 15/13.

Classificação final:

1-Brasil
2-Cuba
3-Argentina
4-México
5-Estados Unidos
6-Canadá
7-Porto Rico
8-Venezuela

Divulgação

sábado, 29 de outubro de 2011

(MINEIRO) Usiminas/M​inas vence Banana Boat/Praia Clube e ainda pode ir à final

Minastenistas seguem vivas na competição (Foto: Havar Comunicação)

O Usiminas/Minas conquistou sua segunda vitória pelo Mineiro Feminino de Vôlei em cima do Banana Boat/Praia Clube neste sábado, 29, e colocou ainda mais emoção na disputa pelo título. A partida, válida pelo terceiro circuito da competição, terminou em 3 sets a 1, com parciais de 25-16, 20-25, 25-20 e 25-21.

O JOGO - A equipe de Uberlândia começou melhor a partida, abrindo quatro a zero e obrigando o treinador do Usiminas/Minas, Jarbas Soares, a pedir tempo. A estratégia funcionou, pois, daí em diante, as minastenistas reagiram, encaixaram bons contra ataques e se mantiveram à frente no placar durante toda a etapa. Destaque para a boa atuação da oposta Carla, do Usiminas/Minas, que retornou às quadras hoje depois de cerca de um ano parada por contusão.

O segundo set foi muito equilibrado. As equipes o disputaram ponto a ponto, até que o bom funcionamento da defesa praiana fez a diferença. Contando ainda com bons bloqueios de Dayse e com os contra ataques certeiros de Monique, o time de Uberlândia fechou o set e empatou a partida.

Para a terceira etapa, as equipes voltaram decididas a vencer e se alternaram frequentemente no placar com atletas mais vibrantes em quadra. Do lado do Banana Boat/Praia Clube, a central Camila se destacava com bons ataques. Mas as minastenistas contavam com a cubana Herrera, que desequilibrou o set com sua eficiência nos contra ataques e marcou o ponto que desempatou a disputa.

Precisando da vitória para seguir com chances de disputar a grande final do Mineiro, o Usiminas/Minas começou o quarto set aproveitando os muitos erros cometidos pela equipe praiana. Com as boas distribuições de bola de Claudinha e um bloqueio forte, o Usiminas/Minas complicou a recepção do Banana Boat/Praia Clube e conquistou a vitória pelo placar necessário.

Jarbas Soares, comandante minastenista, credita o sucesso da equipe ao poder de superação. “Em um campeonato equilibrado como o Mineiro, precisamos ter um algo a mais. Hoje, tivemos garra e soubemos jogar atrás. Isso é importante, pois a equipe está em fase de crescimento e vitórias como a de hoje, de virada, dá mais vontade para o grupo”, disse o treinador.

A oposta Carla, do Usiminas/Minas, acredita que a vitória veio devido ao bom momento vivido pelo grupo. “Estamos crescendo e a vitória mostrou isso. Apesar de ter saído atrás e, em alguns sets estar atrás do placar, soubemos virar”, disse a camisa 2, que gostou de sua atuação no retorno após a cirurgia realizada no joelho. “Joguei bem. Minha recuperação foi lenta e muito sofrida. É ruim ficar tanto tempo longe, mas consegui jogar bem por causa do grupo, que me dá muita força”, finalizou a oposta, que marcou 16 pontos e só não foi a maior pontuadora do jogo porque Herrera anotou 19 marcações.

Para o treinador praiano, Spencer Lee, a derrota está relacionada ao cansaço de sua equipe e à qualidade das minastenistas. “O Minas cresceu muito com a entrada da Carla no lugar da Carol. Eles mudaram taticamente e nós tivemos dificuldades táticas para neutralizar a Carla, que voltou muito bem após um ano parada. Mas a equipe também sentiu o cansaço por causa da partida de ontem. Nós tivemos pouco tempo de descanso antes de enfrentar o Minas”, disse o comandante.

A oposta Monique, do Banana Boat/Praia Clube, valorizou a boa partida feita pela cubana Herrera. “Elas melhoraram muito no segundo set, após o crescimento da Herrera. Isso fez muita diferença, pois ela começou a virar todas as bolas e dificultou nosso trabalho”, alegou a camisa 15.

Próximos Jogos

A grande final do Campeonato Mineiro Feminino será definida amanhã, 30, após o clássico entre BMG/Mackenzie e Usiminas/Minas, às 15h. O Mackenzie já garantiu sua vaga. Se vencer, a equipe minastenista disputa o título Mineiro em nova edição da decisão de 2010. Caso seja derrotada, o Banana Boat/Praia Clube é quem fica com a segunda vaga para a final.

Divulgação

(PAULISTA) Após revés para o Vôlei Futuro, Luizomar foca vice-liderança do Paulista

Sollys, de Luizomar, perdeu em casa para o Vôlei Futuro (Foto: Fabio Rubinato/AGF/Divulgação)

Neste sábado, Sollys/Nestlé e Vôlei Futuro se enfrentaram no Ginásio José Liberatti, em Osasco, pela penúltima rodada do segundo turno do Campeonato Paulista. Esse confronto valia a liderança da fase de classificação da competição estadual. Com sete desfalques contra somente dois do adversário, a equipe comandada pelo técnico Luizomar de Moura conseguiu fazer um jogo equilibrado, porém, não foi o suficiente para obter um resultado positivo. Em uma hora e 30 minutos de partida, o time visitante venceu por 3 sets a 0. Após o jogo, Luizomar enalteceu o trabalho do time e lamentou o fato de não ter conquistado a liderança.

“A equipe como um todo fica um pouco chateada já que chegamos até a penúltima rodada brigando pela primeira colocação. No entanto, o Sollys/Nestlé tem muito méritos dentro dessa fase de classificação por ser um time muito novo e também porque não conseguimos manter uma mesma equipe durante a competição, pois tivemos que colocar em quadra diversas formações devido aos desfalques. O time conseguiu manter um bom desempenho para lutar até o final pelo primeiro lugar”, declarou o comandante.

O treinador também analisou a situação na tabela e comentou sobre o rival deste sábado. “Hoje tínhamos uma situação na qual sabíamos das dificuldades devido a experiência do adversário e porque eles tinham menos desfalques em comparação com a nossa equipe”, disse. “Agora precisamos ganhar e vamos para a última rodada na qual será definido o segundo e o terceiro colocados”, concluiu o técnico. Com o Vôlei Futuro garantido em primeiro, Sollys/Nestlé e SESI-SP disputam a segunda e a terceira posições na tabela.

Divulgação

(PAULISTA) Vôlei Futuro supera o Sollys/Nestlé e é líder novamente

As meninas do Vôlei Futuro triunfaram em Osasco vencendo a equipe da casa por 3 sets a 0. A conquista sobre o Sollys/Nestlé devolveu a liderança do Campeonato Paulista para o time de Araçatuba, que agora soma 24 pontos no certame. A partida foi válida pela penúltima rodada da fase classificatória e teve parciais de 25-23, 25-21 e 25-20.

Vôlei Futuro, Sollys/Nestlé e Sesi-SP já estão classificados para as semifinais do Paulista. Os duelos deverão ser realizados na segunda quinzena de novembro. Brigam pela última vaga o BMG/São Bernardo e o Pinheiros.

A experiente Walewska fez uma partida incrível, de 17 pontos feitos 6 foram de bloqueio e 10 de ataque, ela terminou como a maior pontuadora do duelo. Outro destaque foi a levantadora Ana Cristina, mesmo com o seu 1,73m conquistou 3 pontos de bloqueio e 2 pontos na bola de segunda, além de distribuir eficientemente as bolas, que funcionaram principalmente com as centrais. Ivna foi a protagonista do Sollys/Nestle, somou 16 pontos, sendo 4 de saque, 2 de bloqueio e 10 no ataque.

Parta fechar a primeira fase do certame, o Vôlei Futuro enfrentará o Pinheiros fora de casa. O adversário luta para se classificar em quarto lugar e garantir a vaga nas semifinais. A partida será realizada dia 02 de novembro (quarta-feira) às 19h30.

Vôlei Futuro: Walewska, Ana Cristina, Fernanda Berti, Joyce, Clarisse, Carol Gattaz e a líbero Vere. Entraram: Vivi e Juliana Odilon.

Sollys/Nestlé: Ivna, Larissa, Karine, Silvana, Bia, Jú Costa e a líbero Leia. Entraram: Samara, Vivi e Helo.

Divulgação

(PAN-AMERICANO) Rubinho elege passe como principal diferencia​l para a grande final diante de Cuba

Rubinho prevê jogo dificil contra Cuba (Foto: Luiz Pires/VIPCOMM)

Para Rubinho, técnico da Seleção Brasileira no Pan, o duelo desta noite contra Cuba deverá ser mais acirrada do que a disputa da semifinal. Em busca do ouro pan-americano, a equipe brasileira saber que não poderá cometer erros diante dos cubanos.


“O jogo será bem difícil, totalmente diferente da semifinal. Cuba é um jogo baseado em força, alcance de ataque, peso no saque, embora estejam alternando a forma de sacar nesta competição”, avaliou o treinador que chegou à grande final invicto.

A equipe brasileira estava atenta ao jogo entre Cuba e México. Os donos da casa usaram muitas bolas de meio para pontuar e o Brasil pode usar essa alternativa esta noite. “É uma boa opção o jogo pelo meio, os cubanos jogam muito individualmente no bloqueio e por isso precisamos manter um bom nível de passe para termos sempre esta possibilidade de jogo, além das demais jogadas e assim manter a nossa rotação sempre em alta”, acrescentou.

Para que o resultado seja positivo Rubinho sabe que o Brasil precisa entrar em quadra com a concentração lá em cima. “Já conversamos que é preciso buscar mais regularidade e eficiência desde o início da partida”, referindo-se aos primeiros sets perdidos diante dos Estados Unidos e Argentina.

Divulgação

(PAN-AMERICANO) Brasil enfrenta Cuba na busca pelo título

Brasil busca o quarto título pan-americano (Foto: Luiz Pires/VIPCOMM)

Depois de eliminar a Argentina, a seleção brasileira masculina de vôlei esperou pelo resultado do jogo entre Cuba e México para conhecer o adversário da final. E o confronto será de alto nível. Brasil e Cuba estarão na disputa pelo título dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara neste SÁBADO (29.10), às 23h (de Brasília).

Na noite de sexta-feira (28.10), o Brasil venceu a Argentina por 3 sets a 1 e Cuba precisou se esforçar para derrotar os donos da casa, em um jogo bastante equilibrado, por 3 a 2.

Os finalistas tiveram campanas parecidas. A seleção brasileira passou por Canadá, Porto Rico e Estados Unidos na fase classificatória e, com isso, se classificou direto para as semifinais, sem precisar jogar as quartas-de-final. Na semi, derrotou a Argentina.

Cuba passou pela mesma situação. Venceu Argentina, Venezuela e México na primeira fase e, nas semifinais, derrotou novamente os donos da casa.

O Brasil busca o quarto título no Pan-Americano, depois de ter conquistado a medalha de ouro nas edições de 1963, 1983 e 2007.

Divulgação

(COPA DO MUNDO) Brasil chega ao Japão e começa aclimatação em Kobe

Seleção feminina desembarcou no aeroporto de Osaka (Foto: Divulgação/CBV)

A seleção feminina de vôlei já está no Japão para a disputa do título inédito da Copa do Mundo. Depois de mais de 26 horas de viagem, as brasileiras chegaram, neste SÁBADO (29.10), à cidade de Kobe, onde será realizado o período de aclimatação. O time verde e amarelo estreará no torneio, que fornecerá três vagas para os Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, no dia quatro de novembro contra os Estados Unidos.

O Brasil realizará a aclimatação no centro de treinamento do time japonês Hisamtisu Springs que tem no elenco com a brasileira Fofinha. A jogadora fez uma visita para a delegação verde e amarela durante o almoço das brasileiras.

Para se adaptarem o mais rápido possível ao fuso horário de 13 horas a mais em relação a Brasília, as brasileiras não tiveram moleza. Após almoçarem e descasarem por duas horas, as jogadoras realizaram a primeiro treino com bola no Japão. Na primeira parte do treinamento, o time verde e amarelo fez um trabalho voltado para o equilíbrio com o preparador físico José Elias Proença.

“Procuro buscar os sintomas no corpo das meninas para o fuso horário. Realizamos um trabalho com fitball que exercita o equilíbrio das jogadoras. Com o fuso, as atletas ficam mais ofegantes e a situação só normaliza a partir do quarto dia. O relógio biológico delas está dizendo que é hora de dormir, portanto temos que deixá-las acordadas”, explicou Zé Elias.

As 14 atletas que viajaram para o torneio no Japão são as levantadoras Fabíola e Dani Lins; as opostos Sheilla e Tandara; as ponteiras Mari, Paula Pequeno, Fernanda Garay e Sassá; as centrais Thaisa, Adenízia, Fabiana e Juciely e as líberos Fabi e Camila Brait.

Na primeira fase da competição, o Brasil estará no grupo B e enfrentará, respectivamente, Estados Unidos, Quênia e Alemanha, na cidade de Nagano.

Divulgação

(PAN-AMERICANO) Cruzeirense Wallace pronto para encarar Cuba na final do Pan

Oposto do Sada acredita em jogo ainda mais difícil do que na semifinal

Depois da vaga assegurada para a grande final dos Jogos Pan-Americanos, o oposto Wallace Souza ficou na expectativa para conhecer o adversário deste sábado.

Após Cuba derrotar o México no tie break, o jogador do Sada/Cruzeiro acredita que a grande final de amanhã será um duelo ainda mais difícil do que na semifinal diante da Argentina. “O México tinha um time experiente, porém a força jovem de Cuba demonstrou que é preciso ficar muito atento. Será uma partida muito difícil. Em jogo como esse qualquer um pode sair com a vitória”, declarou o camisa 18.

Diante de um adversário que luta em todas as bolas Wallace Souza acredita que o time brasileiro precisa redobrar a atenção em especial no primeiro set, já que nas duas últimas partidas a equipe saiu perdendo a primeira parcial.

“Mais uma vez não conseguimos ter o primeiro set a nosso favor. Amanhã na final precisamos entrar mais concentrados”, decretou. O oposto vive a expectativa de sua primeira final pan-americana e não esconde que, mesmo com sua experiência no vôlei, há sempre uma expectativa em jogos como esse:

“Acho que pode acontecer uma ansiedade até momentos antes do início da partida. Depois que o jogo começa tudo flui naturalmente. É preciso controlar a ansiedade nesse momento tão importante”, finalizou.

Universo do Vôlei
Foto: Luiz Pires/VIPCOMM

(PAULISTA) Por vantagem nos playoffs, Vôlei Futuro quer vitória sobre Sollys/Nestlé

No início da tarde deste sábado (29/10), o Vôlei Futuro entra em quadra pelo Campeonato Paulista Feminino de 2011. A partir das 12h, a equipe enfrenta o Sollys/Nestlé, em Osasco (SP), em busca da liderança da competição. Uma vitória sobre as mandantes levará a equipe de Araçatuba (SP) novamente à primeira posição do Estadual.

“Será um jogo muito difícil, pois o Sollys/Nestlé certamente vai apresentar um vôlei de alto nível. São duas equipes excelentes e quem tem a ganhar é o torcedor que comparecer ao ginásio ou acompanhar pela televisão”, disse Carol Gattaz. “A gente quer fechar a primeira fase na liderança para levar a vantagem do mando de quadra para os playoffs. Por isso, uma vitória nessa partida é extremamente importante para conquistarmos este objetivo dependendo apenas das nossas forças”, concluiu a jogadora.

A partida entre Sollys/Osasco e Vôlei Futuro será transmitida ao vivo pelo Sportv.

Divulgação

(PAN-AMERICANO) No tie-break, Cuba vence México e pega Brasil na final

Jogadores de Cuba comemoram após vitória que deu a vaga na final contra o Brasil

Em partida que começou na noite de sexta-feira e terminou apenas na madrugada deste sábado, Cuba venceu o México por 3 sets a 2, com parciais de 25/21, 25/27, 28/30, 25/15 e 17/15, e conquistou uma vaga na final do torneio masculino de vôlei nos Jogos Pan-Americanos Guadalajara 2011.

Após vencer o primeiro set, Cuba foi surpreendida pelo anfitrião dos Jogos, que venceu as duas parciais seguintes, mas teve força para se recuperar na partida e voltou a empatar no quarto, forçando o tie-break, no qual levou a melhor por 17 a 15.

Na decisão dos Jogos Pan-Americanos, Cuba reencontra o Brasil, adversário que a derrotou na fase de grupos, e que mais cedo, ainda na sexta-feira, havia vencido a Argentina por 3 sets a 1, parciais de 26/28, 27/25, 25/22 e 25/15, na outra semifinal.

Brasil e Cuba se enfrentam neste sábado, às 23h (de Brasília), com transmissão ao vivo da Rede Record.

Universo do Vôlei
Foto Reprodução

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

(MINEIRO) Vivo/Minas se recupera e quebra invencibilidade do Sada/Cruzeiro

Minastenistas quebraram a invecibilidade do Sada/Cruzeiro (Foto: Havar Comuicação)

Nesta sexta-feira, 28, o Vivo/Minas venceu o Sada/Cruzeiro, que, até então, era a última equipe invicta no Campeonato Mineiro Masculino de Vôlei. Como se esperava de um clássico, a partida foi emocionante e decidida no tie-break, com parciais de 25/22, 22/25, 25/23,15/25 e 15/12.

Para o treinador do Vivo/Minas, Marcelo Fronckowiak, a vitória foi fruto da maturidade de sua equipe, que atuou bem nos momentos decisivos. “Nós encontramos um ritmo que foi importante no jogo. Passamos momentos delicados, mas, quando foi preciso, jogamos em alto nível. A ausência de Marcelinho também tornou a conquista mais difícil”, declarou o treinador.

O camisa 18 minastenista, Anderson, acredita que o triunfo sobre o Sada/Cruzeiro é fruto da evolução dos trabalhos ao longo do campeonato. “Nossa equipe ainda está em formação. Ainda estamos buscando um ritmo melhor, uma identidade para o time. Hoje foi um jogo de altos e baixos. O que fez a diferença foi a determinação da equipe nos momentos difíceis”, disse o jogador.

O comandante cruzeirense, Marcelo Mendez, não aprovou a atuação de sua equipe, principalmente no saque. “Não trabalhamos bem nesse fundamento e também pecamos no ataque. O Cruzeiro não fez uma boa partida. A equipe do Minas cresceu no ataque ao longo da partida e mereceu a vitória”, concluiu o comandante.

Já o ponteiro Filipe, do Sada/Cruzeiro, acredita que o contra ataque do seu time não foi eficiente. “Nós pecamos muito nesse quesito. Defendíamos bem, mas não conseguíamos converter isso em pontos. Precisamos acertar nosso contra ataque”, afirmou o atleta.

PRÓXIMOS JOGOS



O Sada/Cruzeiro volta a jogar pelo Campeonato Mineiro na próxima terça-feira, dia primeiro, contra o Olympico/MartMinas, na casa do Tricolor da Serra. No primeiro confronto entre as equipes, os cruzeirenses levaram a melhor e venceram por três a zero. Já o Vivo/Minas entra em quadra no dia 11, jogando em casa contra o BMG/Montes Claros. A equipe de Marcelo Fronckwiak perdeu a primeira partida contra o Pequi Atômico e vai buscar sua quarta vitória no Mineiro. O time do Norte de Minas lidera a competição com 14 pontos.
 
Divulgação

(MINEIRO) No tie break, Banana Boat/Praia Clube vence BMG/Macken​zie e fica perto da final

Praia Clube venceu o Mackenzie no tie-break (Foto: Havar Comunicação)

Em partida marcada por altos e baixos, o Banana Boat/Praia Clube venceu o BMG/Mackenzie fora de casa por 3 sets a 2, nesta sexta-feira, 28. A equipe praiana deu um importante passo para conquistar uma vaga para a final do Campeonato Mineiro Feminino de Vôlei. A partida terminou com parciais de 15/25, 25/15, 16/25, 25/17 e 15/5, e teve etapas muito distintas, com as equipes oscilando em seu desempenho.

Para Ricardo Picinin, treinador do Tricolor, a oscilação da equipe causou a derrota. “Foi um jogo muito ruim. Muitos erros de ambos os lados e alternâcia muito grande em cada set. Começamos muito mal, recuperamos, mas faltou ser constante. É um jogo para tirar de lição para domingo e tentar trazer a final para nossa casa”, disse Picinin.

A ponta tricolor, Priscila Daroit, acredita que a equipe alternou muito, mas que servirá de lição para o próximo jogo. “O jogo foi muito de altos e baixos. Essas oscilações servirão para estudarmos e jogarmos melhor contra o Minas, no domingo. O time está em evolução, crescendo e isso nos ajudará muito para o restante do campeonato”, afirma a camisa 7.

Spencer Lee, comandante praiano, pede menos desequilibrio emocional nas partidas. “Emocionalmente, não fomos bem. Fizemos um grande começo de jogo, mas fomos alternando em bons e maus momentos. É um jogo que temos muito para corrigir, ainda mais em um campeonato tão equilibrado quanto é o Mineiro. As equipe são bem equilibradas e isso dá mais emoção às partidas”, finaliza Spencer.

A levantadora do Banana Boat/Praia Clube, Juliana, que entrou ao longo da partida, credita a vitória ao bom jogo feito no tie break. “Como teve muita disparidade nos sets, precisávamos fazer um bom set desempate para vencer. Conseguimos e isso foi importante. Acabamos errando menos no momento certo”.

PRÓXIMOS JOGOS

O Banana Boat/Praia Clube volta às quadras neste sábado, 29, contra o Usiminas/Minas, às 15h. O confronto, que será realizado no Ginásio do Mackenzie, sede do terceiro circuito. O confronto pode definir uma vaga para a final do Mineiro. O Tricolor jogará no domingo, contra as minastenistas, às 15h.

Divulgação

(PAN-AMERICANO) Brasil vence a Argentina e está na final

Gustavo comemora ponto do Brasil no jogo contra os argentinos (Foto: Luiz Pires/VIPCOMM)

O Brasil está na final dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara. Os brasileiros venceram a Argentina na noite desta SEXTA-FEIRA (28.10), de virada, por 3 sets a 1 (26/28, 27/25, 25/22 e 25/15), em 1h22 de partida. Agora, na busca pelo quarto título pan-americano, a equipe verde e amarela espera o resultado do jogo entre Cuba e México, que acontece na sequência, para conhecer o adversário da decisão.

O oposto Walace Souza foi o maior pontuador da partida, com 20 acertos (17 de ataque e três de saque). O ponteiro Thiago Alves também colaborou bem para a vitória, com 13 pontos.

O Brasil está na final com uma campanha invicta. A equipe comandada pelo técnico Rubinho venceu o Canadá, Porto Rico e os Estados Unidos na primeira fase e, com as três vitórias, se classificou para a semifinal com uma rodada de antecipação. Com isso, folgou na rodada de quinta-feira (27.10), assim como Cuba.

Já a Argentina, adversário do Brasil nesta noite, perdeu para Cuba e ganhou do México e da Venezuela na primeira fase do campeonato, e, dos Estados Unidos nas quartas de final.


A seleção brasileira começou o jogo com o levantador Bruno, o oposto Wallace Souza, os centrais Gustavo e Éder, os ponteiros Thiago Alves e Lipe e o líbero Mário Júnior. Entraram Murilo Radke, Wallace Martins e Renato.

Divulgação

(PAULISTA) Em casa, BMG São Bernardo vence Santo André por 3 a 0

São Bernardo venceu com tranquilidade o Santo André (Foto Divulgação)

O BMG/São Bernardo não encontrou grandes dificuldades no clássico regional desta sexta-feira diante do Santo André. A equipe do técnico Alexandre Stanzioni venceu a equipe vizinha por 3 sets a 0, parciais de 25/22, 25/20 e 25/22.

O duelo de hoje também foi importante para o treinar colocar em quadra jogadores que não vinham jogando pelo BMG/São Bernardo caso dos centrais Haroldo e Matheus. "Foi um jogo importante além da vitória para dar ritmo de jogo para alguns que não vinham jogando com tanta frequência. Foi bom vencer e poder contar com mais jogadores visando a fase final do campeonato paulista, ressaltou Haroldo.

Para Matheus, foi uma oportunidade de buscar também seu espaço na equipe. "Sempre é muito bom ajudar a equipe e ter essa oportunidade de jogar e mostrar que estou buscando meu espaço também. Tenho treinado forte para poder entrar em quadra e contribuir durante as partidas. É sempre bom jogar, ressaltou o atleta.

Divulgação

(MINEIRO) Usiminas/M​inas ganha reforços para jogos no Mackenzie, pelo Mineiro

Ramirez está relacionada para as partidas no Mackenzie (Foto Orlando Bento)

A Usiminas/Minas entra em quadra neste fim de semana, duas vezes seguidas, em busca da vaga na final do Campeonato Mineiro de Vôlei Feminino de 2011. Os desafios serão no ginásio do Mackenzie, no terceiro circuito da competição regional, já que o primeiro foi em Uberlândia e o segundo na Arena Vivo, nesta fase classificatória. Amanhã (29/10) o desafio será contra o Banana Boat/Praia Clube e no domingo (30/10) tem o clássico diante da BMG/Mackenzie. Os dois jogos serão às 15 horas e o ingresso é 1 kg de alimento não perecível.

Sem jogar pelo regional desde o dia 2/10, quando foi derrotada por 3 a 2 pela BMG/Mackenzie, na Arena Vivo, a Usiminas/Minas entra em quadra agora em busca da reabilitação e também de uma vaga na final, marcada para o dia 12/11, em um só jogo e na casa da equipe de melhor ranqueamento nesta primeira fase do Campeonato Mineiro. O técnico Jarbas Soares comentou que o time minastenista buscará duas vitórias, único resultado que lhe interessa,  para não depender de outros fatores e se classificar para a final.

A oposta cubana Daymi Echevarria, que desfalcou o time minastenista nos dois primeiros circuitos, finalmente se apresentou ao técnico Jarbas Soares. Ela participou de alguns treinos com o grupo, sua documentação está regularizada e ela está relacionada para os dois jogos desta reta final da primeira fase do Estadual. “Daymi está treinando e será muito importante neste momento para o grupo, pois traz uma grande experiência, que dará mais confiança e maior tranquilidade ao time, lembrando que valorizamos ao máximo o estadual, mas o principal objetivo é o grupo ficar pronto para a Superliga”, concluiu o técnico Jarbas Soares.

Mais tranquilo, o técnico Jarbas Soares conta também com o retorno da jovem atacante Carla, que operou o joelho direito na temporada passada e somente agora, praticamente um ano depois, está de volta. “O time está se fortalecendo, treinamos bem e muito forte neste período. O grupo está consciente das nossas necessidades e muito determinado”, disse o treinador da Usiminas/Minas.

Jarbas Soares ainda não confirmou o time que começa a partida deste sábado, mas é bem provável que promova as entradas de Claudinha, Mari, Fernanda, Herrera, Natasha, Carol (Carla) e a líbero Tássia.

Reforço cubano: Daymi de la Caridad R. Echevarria, de 28 anos, 1m81 e 80kg, jogou a Superliga 2010/11 pelo Praia Clube, de Uberlândia/MG, e foi a quarta maior pontuadora da competição nacional, com 398 pontos marcados.  Daymi disputou os Jogos Olímpicos de 2008 e foi campeã do Pan do Rio. A jogadora cubana foi contratada para substituir a norte-americana Nicole e o técnico Jarbas Soares destaca a experiência e o potencial de ataque da oposta de Cuba, que, segundo ele, ainda tem características de atacante passadora. Daymi viajou para Cuba tão logo terminou a última temporada e teve que regularizar documentação que a permitisse voltar ao Brasil, o que só foi possível nesta semana.

Divulgação

(MINEIRO) Nathalia quer assegurar presença do BMG/Macken​zie na final do Mineiro

Ginásio do Mackenzie recebe a terceira etapa do Mineiro (Foto Divulgação)

Líder do Campeonato Mineiro Feminino de Vôlei com três vitórias e uma derrota, o BMG/Mackenzie inicia nesta sexta-feira diante do Banana Boat/Praia Clube, em seu ginásio, a disputa do terceiro e último circuito da fase de classificação.


Uma das remanescentes do elenco da temporada passada, a levantadora Nathalia Daneliczin garante que o objetivo do time é garantir a vaga na decisão do estadual.

“Precisamos apenas de uma vitória nos dois jogos que iremos disputar neste final de semana para assegurar a classificação. Mas vamos buscar vencer as duas partidas, pois a final será em jogo único na casa do time de melhor campanha”, lembra a jovem atleta de 20 anos e 1,84 de altura.

TERCEIRO CIRCUITO

O BMG/Mackenzie lidera o Campeonato Mineiro Feminino com sete pontos, seguido pelo Banana Boat/Praia Clube, que tem seis, enquanto o Usiminas/Minas aparece em terceiro lugar com cinco pontos.

Essa é a programação do terceiro e último circuito da competição, em que todos os jogos serão realizados no ginásio do Mackenzie Esporte Clube, em Belo Horizonte:

Sexta-feira (28) – 19h – BMG/Mackenzie x Banana Boat/Praia Clube
Sábado (29) – 15h – Usiminas/Minas x Banana Boat/Praia Clube
Domingo (30) – 15h – BMG/Mackenzie x Usiminas/Minas

Divulgação