Páginas

terça-feira, 28 de agosto de 2012

(MUNDIAL MILITAR) Brasil não disputará edição masculina do Mundial

Atuais campeões não disputarão edição do Mundial (Foto: Divulgação)

O Brasil não irá mais participar do Campeonato Mundial Militar Masculino de Vôlei, que estava previsto para a primeira semana de setembro em Teerã, capital do Irã. Um impasse com os organizadores do evento fez com que os responsáveis pela seleção comunicassem os 12 atletas convocados sobre o cancelamento.


“É uma pena, pois havíamos treinado durante vários meses e a competição é de bom nível. Mas, pelo que fiquei sabendo, o torneio estava com alguns problemas de organização. Nesse caso, o pessoal da seleção brasileira militar teve bom senso ao decidir não disputar”, declarou o ponteiro Raphael Oliveira.

Divulgação

(PRÉ-TEMPORADA) Após ouro em Londres, Fabi e Natália voltam aos treinos pela Unilever

Natália: "Estou com fome de bola" (Foto: Daniel Ramalho/adorofoto)

Dezesseis dias após a conquista da medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Londres/12, a líbero Fabi e a ponteira Natália já estão de volta ao batente. A dupla se juntou à equipe Unilever nesta terça-feira (28/8), pela manhã, na Escola de Educação Física do Exército, na Urca, zona sul do Rio de Janeiro. Orientadas pelo preparador físico Marco Antônio Jardim, fizeram musculação e esbanjaram simpatia, uma das características marcantes da personalidade de ambas as atletas.


"Tivemos duas semanas para descansar, rever a família e os amigos. Agora é focar no trabalho. Na seleção, pude ajudar pouco as minhas companheiras dentro de quadra em Londres. Por isso, a vontade de jogar aumenta a cada dia. Estou com fome de bola", avisa Natália, de 23 anos, que está satisfeita com a oportunidade de treinar com jogadoras estrangeiras.

"O grupo da Unilever está diferente em relação à última temporada. É um novo desafio. Já houve o anúncio da canadense Sarah Pavan e estamos aguardando novas confirmações", diz Nat, como é carinhosamente chamada, sem esconder a ansiedade de finalmente poder trabalhar com o técnico Bernardinho. Na temporada 2011/12, após ser contratada pela equipe carioca, Natália precisou ser operada pela segunda vez na canela esquerda para a retirada de um tumor benigno e não pode jogar.

"Meu sonho sempre foi treinar com o Bernardo. Agora, já recuperada, vou poder concretizá-lo", comemora.

A líbero Fabi, por sua vez, comentou que a medalha de ouro olímpica de Londres vai valorizar ainda mais a Superliga, competição da qual a Unilever é heptacampeã.

"A vida continua. O trabalho segue e precisamos estar prontas para essa nova batalha. A Superliga tem grandes times. O de Campinas é uma novidade. A Unilever tradicionalmente trabalha para estar entre os primeiros colocados e teremos importantes reforços nesta temporada para tentar buscar o oitavo título", diz a experiente jogadora de 32 anos, bicampeã olímpica.

O preparador físico Marco Antônio Jardim explicou que, nas próximas semanas, Fabi e Natália passarão por um programa de recondicionamento, com ênfase nos treinos físicos. "Elas chegaram ao ápice nos Jogos de Londres, tiveram um período de folga e agora vão voltar gradativamente. É importante não pular etapas, já que temos pelo menos dois meses para o início da Superliga. Já vão treinar com bola, porém cumprindo a metade do volume das demais jogadoras".

Fofão em ação com Natália

Caçula da seleção brasileira em Londres, a ponteira Natália terá a oportunidade de jogar na Unilever com a levantadora Fofão, de 42 anos, campeã olímpica em Pequim/08 e dona de outras duas medalhas de bronze nos Jogos. Para Fofão, o entrosamento virá naturalmente.

"A Natália é uma das melhores do mundo. É habilidosa, tem facilidade no salto. Já estivemos juntas bem rapidinho na seleção, mas nunca treinamos em clubes. Tenho certeza que será uma boa temporada. A expectativa é de que todas cheguem logo para a gente ver a cara do time".

Assim como as demais jogadoras, Fofão também aguarda a chegada do técnico Bernardinho, que está de férias e deverá se juntar ao time no dia 17 de setembro. "Ele já esteve aqui na Urca e avisou que vai voltar com energia máxima", diverte-se.

Para a temporada 2012/13, a Unilever já anunciou 13 jogadoras, entre renovações e contratações. As novatas do time são a levantadora Fofão, as opostas Sarah Pavan e Bruna  e a ponteira Gabi. Também integram o grupo a levantadora Roberta; as ponteiras Natália, Régis, Amanda; as meios-de-rede Valeskinha, Juciely e Mara; e as líberos Fabi e Juju Perdigão.

Divulgação

(PAULISTA) Amil/Campinas estreia no Paulista nesta quarta-fei​ra

Amil faz 1ª partida oficial nesta quarta-feira (Foto: Patty Peppe/Noblu)

O recém criado Vôlei Amil estreia no Campeonato Paulista Feminino contra o Uniara/C.Náutico nesta quarta-feira (29), a partir das 19h, no ginásio do Araraquarense, na cidade de Araraquara. A expectativa é grande entre jogadoras e comissão técnica, que trabalham duro desde a formação da equipe, há cerca de dois meses, para iniciar a competição com o pé direito.


Unindo atletas experientes e consagradas a jovens talentos do vôlei brasileiro, o Vôlei Amil nasce, nas palavras do técnico José Roberto Guimarães, para lutar por um lugar entre os três primeiros colocados do Campeonato Paulista e Superliga. Para chegar até lá, todos os integrantes do time sabem que precisam dar um passo de cada vez. E para superar o primeiro desafio, precisa lutar contra os desafios naturais de um projeto novo. O principal deles, nessa primeira etapa, é a falta de entrosamento em quadra.

"Esse grupo nunca jogou junto e nosso adversário, embora não esteja entre os favoritos e venha de duas derrotas, não é bobo e joga em casa. Nossas jogadoras terão de ter paciência com elas mesmas até conseguirem um bom ritmo dentro de quadra", explica o auxiliar técnico Paulo Coco, que dirigirá o Vôlei Amil enquanto o tricampeão olímpico Zé Roberto está na Espanha, percorrendo 150 quilômetros do Caminho de Santiago de Compostela, para pagar uma de suas promessas pela conquista da medalha de ouro em Londres.

Dois caminhos - Paulo Coco trabalha com duas possibilidades para a formação do time base para a partida de estreia. Apesar da liberação da Federação Internacional de Vôlei para que as atletas estrangeiras possam jogar antes da data preliminarmente determinada de 15 de outubro, a direção da Amil espera a documentação oficial para colocar a cubana Daymi Ramirez em quadra. Se jogar, a oposta estará ao lado da levantadora Priscila, das centrais Walewska e Natasha, da ponteira Pri Daroit e da oposta Ju Nogueira. Suelen será a líbero.

Se a documentação não chegar a tempo, Walewska vai para o `sacrifício`. Há dez dias ela treina como atacante de ponta para o caso de uma situação de emergência. "Ainda bem que a federação liberou. Acredito que não haverá problemas legais, a Daymi jogará e eu não precisarei jogar como ponteira", diz a central, que poderá ser deslocada de posição em caso de necessidade para ajudar a manter a qualidade do passe. Nessa situação, Andressa entra para fazer o meio de rede.

Medalha de ouro na Olimpíada de Londres, Fernandinha ficará no banco e Paulo Coco espera não precisar usar a levantadora na partida desta quarta-feira. "A Fernandinha teve um período de descanso depois dos Jogos, se apresentou no final da semana passada e não tem o mesmo entrosamento e ritmo que a Priscila. Se precisar, ela poderá entrar na partida, mas o ideal é que neste jogo ela seja importante apenas incentivando as companheiras que estarão em quadra", afirma o treinador.

Braço forte Apesar das dificuldades naturais de um time em formação, Paulo Coco aposta alto no Vôlei Amil. "Temos um bom volume de jogo, uma equipe que defende bem e bom potencial de ataque", explica. Walewska aponta outra qualidade do elenco. "Temos várias meninas mais jovens e todas com muita sede de aprendizado. E isso é muito importante nessa fase em que elas ainda não têm tanta experiência. Isso é muito forte nesse time, com a meninada querendo absorver muito das veteranas", conta a capitã.

Walewska também leva fé na força do braço de suas companheiras. "O saque será um ponto forte da Amil. Eu sou uma das passadoras, junto com as ponteiras, e tenho sentido dificuldade na recepção durante os treinos. Isso significa que elas estão encaixando bem o serviço e isso pode ser um ponto muito importante nas partidas", garante a central, que diz estar pronta para assumir a responsabilidade por ser uma das líderes do grupo. "Sabemos que toda estreia gera um nervosismo natural, ainda mais para nós, que nunca jogamos juntas. Terei que estar muito concentrada para ajudar a corrigir qualquer desequilíbrio que surgir dentro de quadra."

Divulgação

(MERCADO) Levantador Quaresma é o novo reforço do Florianópo​lis

Quaresma atuou no Canoasna última temporada (Foto: Divulgação/CBV)

O Florianópolis garantiu um importante reforço para a atual temporada do voleibol brasileiro. O levantador Felipe Quaresma, com excelente passagem pela seleção juvenil, e que em abril deste ano sagrou-se campeão da Superliga B com a camisa do Canoas, acertou contrato com o clube catarinense até maio de 2013.


“O grupo que está sendo montado pelo técnico Douglas Chiarotti é jovem, mas tem muita qualidade. Sabemos que não estamos entre os favoritos ao título da próxima Superliga, mas temos condições de fazer uma boa campanha e honrar a tradição do voleibol de Florianópolis”, declarou o jovem levantador de 21 anos de idade e 2 metros de altura.

COMPANHEIROS DA SELEÇÃO

Paulistano de nascimento, Felipe Quaresma Rosa iniciou sua trajetória no Centro Olímpico, de sua cidade natal. Na sequência defendeu o Pinheiros/Sky, SESI-SP e Apav-Canoas.

Em 2010, o jogador foi eleito o MVP, melhor levantador e melhor saque do Campeonato Sul-Americano Juvenil, conquistado de forma invicta pela seleção no Chile.

“Em Florianópolis, terei dois grandes amigos que fiz na seleção como companheiros, o central Bernardo e o oposto Rafael Araújo. Isso com certeza irá ajudar bastante em minha adaptação ao clube e à cidade”, finalizou Quaresma.

Divulgação

(MERCADO) Rodrigão pode jogar no exterior na próxima temporada

Após a disputa das Olimpíadas de Londres, em que conquistou a medalha de prata com a seleção brasileira de vôlei, o meio de rede Rodrigão está de volta a Santos, onde reside com a família. O atleta aproveitou a presença na Europa para rever amigos na Itália, onde jogou por vários anos.


“Como minha esposa acompanhou as últimas partidas das Olimpíadas, decidimos passear por alguns dias e visitar amigos que fizemos no período em que atuei no Ferrara e no Macerata”, explicou.

Com seu retorno ao Brasil, Rodrigão passa a analisar as propostas que surgiram para a temporada 2012/2013. “Clubes da Itália, Rússia e da Turquia me procuraram, mas minha preferência é não jogar mais no exterior. No entanto, nenhuma possibilidade está descartada e pretendo tomar uma decisão nas próximas semanas”.

RANKING DA CBV DIFICULTA

O desejo de seguir sua carreira no país esbarra no ranking estabelecido pela Confederação Brasileira de Voleibol, que tem como objetivo evitar que haja um desequilíbrio acentuado de qualidade entre os clubes da Superliga.

“Como estou no patamar mais alto desse ranking, o de sete pontos, não posso ser contratado pelos principais times. Até chegaram a conversar comigo, mas quando lembraram dessa restrição, as negociações foram suspensas”, lamentou o camisa 14.

DA QUADRA PARA A AREIA

Rodrigão reafirmou as declarações dadas logo após a final da decisão de Londres, de que estava encerrando sua trajetória de mais de 12 anos e 20 títulos conquistados com a seleção, incluindo três medalhas olímpicas (ouro em 2004 e prata em 2008 e 2012). Mas o central tem como meta estar presente nos Jogos do Rio de Janeiro, daqui a quatro anos.

“Devo seguir jogando por um clube, mas tenho um projeto de migrar para o vôlei de praia. Para isso, já estou analisando possíveis parceiros e patrocinadores. Um novo ciclo está começando e seria bem bacana disputar mais uma Olimpíada, mas dessa vez nas areias de Copacabana”, vislumbra.

Para manter a forma e já se adaptar, Rodrigão vem treinando com amigos todas as manhãs na Praia da Aparecida, junto ao canal 6, tradicional reduto da modalidade em Santos.

Divulgação

(MERCADO) Vivo/Minas já conta com o reforço do argentino Quiroga

Quiroga (à esquerda) já está integrado ao elenco do Minas (Foto: Orlando Bento/MTC)

A Vivo/Minas está mais reforçada para a reta final do Campeonato Mineiro e para a Superliga 2012/13, prevista para iniciar em novembro. A novidade no time, comandado pelo técnico Horacio Dileo, é o ponteiro argentino Rodrigo Quiroga, contratado em abril último. O jogador, de 1,90 m, esteve como capitão da seleção de seu país nas disputas dos Jogos Olímpicos de Londres.
 
Rodrigo Quiroga é natural de San Juan, na Argentina, onde nasceu em 23 de março de 1987. Iniciou a sua carreira na equipe do Obras Sanitárias de San Juan e passou pelas equipes do Bassano Volley, SP TTT Catania, Edilesse Cauriago, Vibo Valentia e Ravenna, todos da Itália, além do Irakus, da Grécia, e do Fenerbahce, da Turquia, onde esteve na última temporada. O atleta vem de uma família de jogadores de vôlei, já que é sobrinho de Raul Quiroga, que ganhou medalha de bronze no Mundial e nas Olimpíadas, e filho de Daniel Quiroga, que jogou na Itália. Seu irmão, Gonzalo, também é atleta da modalidade.
 
O novo reforço da Vivo/Minas disse que as expectativas para a temporada são boas e que está feliz em compor o elenco minastenista. "Estou muito contente em vir para o Minas, clube que tem grande tradição no vôlei brasileiro. Estou preparado para encarar esta reta final do Campeonato Mineiro e muito ansioso para estrear na Superliga, que é uma grande competição. Espero fazer um bom trabalho e contribuir com a minha equipe", comentou o ponteiro argentino Rodrigo Quiroga.
 
Dileo está um pouco mais tranquilo com a chegada de Quiroga, que, segundo ele, ajudará bastante ao time da Vivo/Minas, nesta reta final de Estadual e, principalmente, na Superliga, evento que o treinador argentino coloca entre os três melhores do mundo.

 
O jogador deve viajar com o grupo minastenista para Juiz de Fora (MG), onde a Vivo/Minas enfrentará, nesta sexta-feira, a UFJF, às 19h30, pelo Campeonato Mineiro.
 
Já o jovem meio de rede Otávio segue fora da equipe, já que está em tratamento de um estiramento na coxa direita. O atleta só deve voltar ao time na fase final do Campeonato Mineiro,
 
Divulgação




(MERCADO) Apav/Canoas contrata André Nascimento

Canha é o oitavo reforço do time gaúcho (Foto: Divulgação/Canoas)

O novo reforço do Canoas Vôlei já está no clube. André Nascimento chegou nesta segunda-feira e foi recepcionado pelo treinador Paulão. Após duas semanas de negociações, ele aceitou a proposta do Canoas será o 8º reforço do time gaúcho para a Superliga 2012/2013.


"Quando estive aqui para conversar com o Paulão pude conhecer o projeto do clube e as instalações de treino. Estive no La Salle e conheci toda a estrutura que eles disponibilizam para o clube. Isso tudo somado a um time competitivo, pesou na decisão de vir jogar no Rio Grande do Sul", disse o campeão olímpico em Atenas/2004.

Divulgação

(MERCADO) Com grande festa, Amil/Campinas é apresentado oficialmente

Amil/Campinas foi apresentado no último domingo (Foto: Patty Peppe/Noblu)


Em ritmo de música e muita descontração, o time feminino do Vôlei Amil foi lançado oficialmente neste domingo (26), em Campinas. Em grande evento que também marcou a inauguração da Arena Amil, o técnico José Roberto Guimarães brincou com as jogadoras, cantarolou trechos da música sertaneja ‘Índia antes de ganhar um abraço do cantor Leonardo, outra grande atração da festa, e falou da felicidade em voltar a dirigir um time no Brasil. "É uma alegria enorme volta para casa e ajudar a formar um projeto tão bem estruturado como esse que a Amil montou em Campinas. Sabemos do esforço de todos e montamos um time capaz de brigar para chegar entre os três primeiros colocados do Campeonato Paulista e da Superliga", afirma o único tricampeão olímpico brasileiro.


Feliz da vida com o novo desafio, Zé Roberto brincou muito com a central Walewska, a capitã do time da Amil, enquanto elogiava a qualidade de sua equipe. "Montamos um time de jogadoras versáteis. A Walewska, por exemplo, ia jogar de oposto", conta, para emendar em seguida. "Brincadeira! Isso não será necessário porque a Federação Internacional de Vôlei liberou a participação das estrangeiras antes da janela e a Daymi poderá estrear", acrescenta o treinador, referindo-se à jogadora cubana Daymi Ramirez, uma das estrelas da equipe que, assim, estará em quadra na primeira partida pelo Campeonato Paulista, na próxima quarta-feira (29), em Araraquara, diante do Uniara/Clube Náutico.

Quem ficará de molho por dois meses é a ponteira Soninha, que foi operada há uma semana em função de uma hérnia de disco. Após o sucesso da cirurgia, ela está em repouso e logo iniciará o processo de recuperação física. "Comentei que ela estava no lugar certo e na hora certa, porque os médicos da Amil fizeram uma investigação aprofundada do caso dela e deram toda a assistência", lembra o fisioterapeuta Alexandre Lopes Ramos.

Zé Roberto: "melhor momento da minha vida"- Como não poderia deixar de ser, a campanha do bicampeonato olímpico da Seleção Brasileira Feminina de Vôlei esteve na pauta da entrevista coletiva. E Zé Roberto confessou estar vivendo um momento mágico em sua vida. "Com certeza esses foram os Jogos Olímpicos mais difíceis da história e da forma como ganhamos foi especial. Posso dizer que, aliado ao início do projeto do Vôlei Amil, esse é o melhor momento da minha vida. E também que com a nossa medalha de ouro e os Jogos do Rio 2016, o Vôlei Amil já nasce vitorioso. E agradeço muito a Deus por tudo isso", enfatiza o treinador, que embarca nesta segunda (27) para a Espanha, onde percorrerá 150km até Santiago de Compostela para pagar uma de suas promessas pela conquista em Londres.

A capitã Walewska contou ser está a primeira vez que joga em um time totalmente novo, dentro de um projeto que saiu do zero para se tornar um candidato ao pódio nas principais competições do Brasil. "É uma experiência nova e estou muito contente com toda essa estrutura montada pela Amil. Será um desafio, mas estou muito confiante já para o Campeonato Paulista, que é uma prévia da Superliga", garante a medalha de ouro pelo Brasil em Pequim-2008, que vestiu o uniforme número um, predominantemente na cor azul.

Fernandinha, que ajudou o Brasil a levantar o título em Londres, contou um pouco do que é trabalhar com José Roberto Guimarães. "Na Seleção, pensei que ele fosse mais nervoso, mas não, é muito tranquilo, até nas broncas. Mas quero dizer que nosso time nasce entre os favoritos a títulos. Mas como é um grupo novo, espero que o entrosamento venha rápido e nisso o Zé Roberto nos ajudará muito", antecipa a levantadora, que estava com o uniforme dois, na cor laranja.

O Vôlei Amil é um time do jeito que Zé Roberto considera uma ideal para um trabalho de longo prazo, mesclando jogadores experientes com atletas jovens e com futuro promissor. Além de Walewska, Fernandinha e Daymi Ramirez, também têm experiência de Seleção Brasileira as atletas Natasha, Priscila Daroit, Andressa, Ju Nogueira e Suelen. Elas defenderam recentemente a Seleção de Novos. Para setembro é esperada a chegada da atacante búlgara Vasileva.

Show de Leonardo levanta o público Antes do show para mais de 3.000 pessoas que compareceram à Arena Amil para a apresentação do time, o cantor Leonardo "invadiu" a entrevista coletiva para dar um abraço no treinador e cumprimentar, uma a uma, as jogadoras. "É motivo de muito orgulho dizer que temos o melhor vôlei feminino do mundo, que nossas meninas são as melhores, e que temos o Zé Roberto como nosso chefão maior. Tudo isso para alegria do Brasil", diz Leonardo para, em seguida, levantar, com seus maiores sucessos, o público que lotou a Arena Amil, que também nasce como uma das mais modernas e bem estruturadas do Brasil.

Divulgação

domingo, 26 de agosto de 2012

(MERCADO) Usiminas/Minas anuncia Precon como co-patrocinador

O presidente da Precon e do Minas na reunião de assinatura do contrato de copatrocínio

A equipe Usiminas/Minas ganhou mais um importante reforço para a temporada 2012/13. A Precon, empresa líder no mercado de pré-fabricados de concreto e reconhecida na produção de materiais de construção, será a copatrocinadora da equipe minastenista na temporada. Além do apoio ao time, a empresa, que completa 50 anos em 2012, é parceira do Minas na construção do Estacionamento da Unidade II, para o qual está produzindo os pré-moldados.


A assinatura do contrato aconteceu na tarde desta quarta-feira (22/08), no Minas I, durante reunião que contou com a presença de dirigentes do Minas e da Precon. Pelo Minas, participaram do encontro o presidente Sergio Bruno Zech Coelho, o diretor de Esportes, Luiz Gustavo Miranda Lage; a diretora de Vôlei Feminino, Yara Ribas; o diretor de Comunicação e Marketing, Eduardo Mineiro; o técnico da Usiminas/Minas,  Jarbas Soares; as  atletas Taís Mariely, Bárbara Bruch e Claudinha. Representando a Precon, compareceram o presidente do Grupo Precon e da Precon Industrial, Bruno Dias; o diretor de Mercado e Operações, Eder Campos; o CEO da Precon Engenharia, Marcelo Miranda; e o diretor Administrativo da Precon Engenharia, Guilherme Lima.

A equipe Usiminas/Minas, copatrocinada pela Precon, conta com as atletas Thaisinha, Bárbara Bruch, Lia, Thaís Barbosa, recém-contratadas, além das remanescentes da última temporada Claudinha, Fernanda Isis, Tássia, Carla Santos, Raquel Vasconcellos, Marcella Macedo, Lenisse Aquino e Gabriela Fabiano. O técnico é Jarbas Soares.

Divulgação
Foto: Ignácio Costa

(LIGA NACIONAL) Escola do Corpo é o campeão de 2012

Escola do Corpo comemora o título da Liga Nacional (Foto: Divulgação/CBV)

O título da Liga Nacional Masculina de Vôlei 2012 é da Escola do Corpo (SP). Com uma grande atuação, o time de São José (SP) derrotou, de virada, a equipe da casa, o APROV/UNOESC/PMC (SC), que contou com o apoio de um ginásio lotado, por 3 sets a 1 (22/25, 25/17, 25/23 e 25/20), na noite deste SÁBADO (25.08), na decisão da competição, no Ivo da Silveira, em Chapecó (SC).


Com a conquista, a Escola do Corpo tem a vaga confirmada na Superliga Masculina B 12/13, desde que preencha os pré-requisitos exigidos para a disputa da competição.

O time comandado por Reinaldo Bacilieri teve 100 % de aproveitamento na Fase Final, com seis vitórias em seis jogos. Foram 18 sets ganhos e apenas três perdidos.

“Esse título é muito importante para o nosso projeto. Todo o nosso planejamento neste primeiro semestre foi voltado para a Liga Nacional e alcançamos o nosso objetivo que era o título da competição. O grupo está de parabéns. Enfrentamos um grande adversário na decisão e jogamos contra um ginásio lotado”, analisou Reinaldo, que fez questão de parabenizar o adversário.

“O APROV/UNOESC/PMC também teve uma grande campanha. A torcida de Chapecó está de parabéns pelo incentivo ao time. Espero que a cidade volte a ter um time na Superliga”, disse o treinador do time de São José.

Um dos destaques da partida foi o ponteiro Évinho, da Escola do Corpo. O jogador veio do banco e foi um dos principais responsáveis pela vitória da equipe do interior paulista. O atacante estava emocionado com a conquista da Liga Nacional.

“É muito bom ser campeão e ganhar uma partida como essa com um ginásio lotado torcendo contra. O nosso grupo conseguiu suportar a pressão e está de parabéns. Quando o Reinaldo me chamou só queria ajudar o grupo da melhor forma possível e acho que hoje consegui”, afirmou o jogador.

Técnico do APROV/UNOESC/PMC parabeniza o rival e elogia a torcida

Pelo lado da APROV/UNOESC/PMC, o treinador Nilson Rex parabenizou a Escola do Corpo pela vitória, mas fez questão de elogiar a torcida de Chapecó que lotou o ginásio Ivo da Silveira no dia do aniversário da cidade.

“A Escola do Corpo mereceu ser campeã. Nosso time sofreu com problemas de contusão, mas tivemos uma boa campanha. Um dos objetivos desse projeto é trazer o voleibol de volta para Chapecó e hoje a nossa cidade provou que abraça o voleibol. Tenho que agradecer os torcedores pelo apoio”, finalizou Nilson.

UNIFOR garante o terceiro lugar

É da UNIFOR (CE), a terceira colocação da Liga Nacional Masculina de Vôlei 2012. A equipe do Ceará garantiu a presença no pódio da competição derrotando, de virada, o Monte Cristo (GO) por 3 sets a 1 (15/25, 25/20, 27/25 e 25/19) na disputa do terceiro lugar realizada neste SÁBADO (25.08), no ginásio Ivo da Silveira, em Chapecó (SC).

Quarta colocada na etapa classificatória, a equipe do Ceará surpreendeu o terceiro colocado Monte Cristo e terminou a Fase Final da Liga Nacional com três vitórias e três derrotas.

O treinador da UNIFOR, Luiz Marcelo Vieira, comemorou o resultado e a superação da equipe de Ceará ao longo da competição.

“O grupo está de parabéns. Hoje conseguimos jogar bem tanto defensivamente quanto ofensivamente. Tivemos alguns problemas de contusão ao longo da competição e precisamos poupar alguns jogadores. A UNIFOR participa da Liga Nacional desde a primeira edição da competição e essa colocação é muito importante para o nosso grupo”, disse Luiz Marcelo Vieira.

O Monte Cristo terminou a competição em quarto lugar, à frente do Zona Sul E.C. (AP), quinto colocado, e do Placa E.C. (AP), que ficou em sexto.

Divulgação

(MERCADO) Unilever oficializa contratação da oposta Sarah Pavan

A jogadora canadense Sarah Pavan vai defender a equipe Unilever na temporada 2012/13. A notícia da contratação da oposta  foi confirmada oficialmente nesta terça-feira (21/8) pelo time carioca. Sarah, de 25 anos e 1,96m, deverá se apresentar à Unilever ainda no mês de agosto, em data a ser definida. O acerto já havia sido divulgado pelo Universo do Vôlei há mais de dois meses atrás.


Em sua primeira passagem pelo voleibol brasileiro, Sarah, que sagrou-se vice-campeã italiana pelo Villa Cortese na temporada passada e foi a maior pontuadora da competição, espera colaborar para que a Unilever se mantenha entre os principais times do país.

"Minhas expectativas são as melhores possíveis. Quero ajudar a Unilever a manter sua tradição de equipe vencedora e estou ansiosa para jogar com esse grupo talentoso. É uma grande oportunidade ser comandada por um treinador tão respeitado mundialmente. Como nunca estive no Brasil, será também uma excelente chance de conhecer uma nova cultura", destacou a jogadora, que é natural de Kitchener, em Ontário.

"A contratação da Sarah é a quarta da Unilever para 2012/13, tendo sido mantidas no grupo nove jogadoras da última temporada. Também trouxemos a Fofão, a Gabi e a Bruna. Ainda estamos estudando outras possibilidades. O obejtivo é, mais uma vez, montar um time competitivo, capaz de chegar à fase final da Superliga e brigar pelo título", afirmou o supervisor da equipe, Harry Bollmann.

Com o anúncio da contratação de Sarah, a Unilever, dirigida pelo técnico Bernardinho, soma 13 jogadoras para a próxima Superliga. Também integram o time as levantadoras Fofão e Roberta; as ponteiras Natália, Régis, Amanda e Gabi; as meios-de-rede Valeskinha, Juciely e Mara; a oposta Bruna;  e as líberos Fabi e Juju Perdigão.

Divulgação
Foto: Filippo Rubin/LVF

(MERCADO) Thaisinha é o novo reforço da Usiminas/Minas para a temporada 2012/13

Thaisinha vai jogar no Minas na temporada 2012/13 (Foto: Orlando Bento/MTC)

A Usiminas/Minas confirmou a contratação da ponteira Thaisinha. A jogadora, que defendeu o time do Mackenzie na temporada passada, já se apresentou à equipe minastenista, comandada pelo técnico Jarbas Soares, e iniciou os treinamentos no CTJK, no Minas I, visando à temporada 2012/13.


Thaís Custódio de Souza, a Thaisinha, é natural de Monte Azul (MG) onde nasceu em 18 de abril de 1988, tem 1,74m e 65 kg. A atleta iniciou carreira nas equipes de base do Mackenzie e possui passagens pelo São Bernardo e Pinheiros. Na última Superliga, Thaisinha defendeu o Mackenzie. A jogadora já comemorou o terceiro lugar da Superliga, em 2008/09, e o título de campeã paulista, em 2009, com o Pinheiros.

A atleta, que já jogou contra o Minas, disse que está feliz com o novo clube e que espera fazer uma boa temporada. "Sei que o Minas é um dos maiores clubes do Brasil e estou muito orgulhosa em fazer parte desta equipe. Já conheço a torcida, fiz alguns jogos contra e sei que ela é fanática. Espero fazer uma boa campanha e ajudar o time a conquistar títulos", comentou a ponteira.

Divulgação

domingo, 12 de agosto de 2012

(OLIMPÍADAS) Bernardinho se torna o brasileiro com mais medalhas olímpicas

Técnico Bernardinho é o brasileiro com mais medalhas olímpicas (Foto: Divulgação/FIVB)

Com seis medalhas olímpicas, o técnico Bernardinho chega a uma marca não alcançada por nenhum outro esportista brasileiro. Dono da medalha de prata como jogador em Los Angeles/1984, Bernardinho ainda conquistou outras cinco como treinador: bronze em Atlanta/1996 e Sydney/2000 com a seleção feminina e ouro em Atenas/2004, prata em Pequim/2008 e em Londres/2012 com a equipe brasileira masculina.

Até então, os velejadores Torben Grael e Robert Scheidt eram os recordistas em medalhas, com o total de cinco conquistadas.

(OLIMPÍADAS) Murilo é eleito o melhor jogador dos Jogos de Londres

Ponteiro Murilo foi o MVP das Olimpíadas (Foto: Divulgação/FIVB)

OS MELHORES JOGADORES DA OLIMPÍADAS DE LONDRES:

MVP: Murilo Endres (BRA)
Melhor atacante: Maxim Mikhaylov (RUS)
Melhor bloqueador: Max Günthör (ALE)
Melhor sacador: Cristian Savani (ITA)
Melhor levantador: Georgi Bratoev (BUL)
Melhor levantador: Krzysztof Ignaczak (POL)
Melhor líbero: Markus Steuerwald (ALE)
Maior pontuador: Maxim Mikhaylov (RUS)

Universo do Vôlei

(OLIMPÍADAS) Após abrir 2 a 0, Brasil leva virada da Rússia e fica com a prata

Brasil abriu 2 a 0 contra os russos na decisão (Foto: Divulgação/FIVB)

O Brasil é vice-campeão dos Jogos Olímpicos de Londres. Sem poder contar com o oposto Leandro Vissotto, lesionado durante a competição, e após enfrentar problemas também com o ponteiro Dante, que ficou de fora no quarto set, a seleção brasileira acabou superada, neste domingo (12.08), pela Rússia por 3 sets a 2 (25/19, 25/20, 27/29, 22/25 e 9/15), em 2h09, no Earls Court.

A seleção comandada pelo técnico Bernardinho chegou para a final com a campanha de seis vitórias e apenas uma derrota. Na fase classificatória, os brasileiros derrotaram Tunísia, Rússia, Sérvia e Alemanha e perderam para os Estados Unidos. Nas quartas de final, o Brasil venceu a Argentina e, na semifinal, a Itália.

Essa foi a primeira vez na história do vôlei que uma equipe chega a terceira final consecutiva em Jogos Olímpicos. Em Atenas/2004, o Brasil ficou com a medalha de ouro e, em Pequim/2008, com a prata.

Neste domingo, último dia de Jogos Olímpicos de Londres, depois de vencer os dois primeiros sets, o Brasil viu uma mudança tática na Rússia. Ao colocar o meio de rede Muserskiy na posição de oposto, a Rússia mudou a história da final olímpica. O jogador, que havia marcado quatro pontos nos dois primeiros sets, terminou com 31. Pelo Brasil, o oposto Wallace foi quem mais marcou, com 27 pontos.

Apesar do bom retrospecto das três ultimas finais de Jogos Olímpicos e do grande histórico da seleção brasileira masculina, o levantador Bruno não se contentou com a medalha de prata e não fugiu da responsabilidade.

“Nós perdemos o ouro e essa é a grande verdade. Agora é aprender a viver com as consequências que teremos. Jogamos bem, mas é lógico que a mudança feita pela Rússia afetou. Não tem muita explicação. Agora é enfrentar tudo de frente e aprender com tudo isso. Lutamos muito, enfrentamos problemas e a equipe se superou em certos momentos. Mas saímos de quadra hoje com um sabor muito amargo”, afirmou Bruno.

O meio de rede Lucão destacou o fato de que não há adversário fraco. Nem mesmo quando ele está com a desvantagem de 2 sets a 0.

Brasileiros ficaram com a prata em Londres (Foto: Divulgação/FIVB)

“No vôlei não tem ninguém morto. Estávamos jogando bem, mas o treinador deles teve uma ideia boa e mudou o jogo. Dali para frente, o jogo foi jogado. Cometemos alguns erros que não podíamos e a virada de bola deles começou a entrar, coisa que não aconteceu nos dois primeiros sets”, comentou Lucão.

Ao anunciar a despedida da seleção brasileira, o líbero Serginho falou sobre momentos importantes da partida deste domingo e da sua carreira. “Ganhar e perder faz parte do processo. Quem está lá dentro sabe o quanto é difícil e é complicado falar de um jogo como esse. Agora temos que levantar a cabeça, pois, apesar da derrota, hoje todos honraram a camisa”, afirmou Serginho, que complementou.

“Peço que quem for vestir a minha camisa daqui pra frente que cuide dela com carinho. Foram 12 anos dedicados ao vôlei. Esse momento é difícil, mas saio daqui feliz com três medalhas olímpicas. Eu me sinto privilegiado por ter vestido essa camisa e por ter sido referência na posição”, disse o líbero Serginho.

Rússia conquistou o ouro em Londres (Foto: Divulgação/FIVB)

Divulgação

(COPA SP) Meninas do Sesi-SP derrotam o Pinheiros e conquistam título da Copa SP

Sesi-SP conquistou o 1° título de sua história (Foto: Divulgação/MBraga Comunicação)

O primeiro título do voleibol paulista feminino adulto da Divisão Especial em 2012 é do Sesi/SP. A equipe venceu, no último sábado, a Copa São Paulo Feminino 2012, torneio que serviu de preparação para o Campeonato Paulista desta temporada. Na decisão, realizada no ginásio do Esporte Clube Pinheiros, o Sesi/SP bateu o time da casa por 3 sets a 1, com parciais de 16/25, 25/18, 25/20 e 25/17, em 106 minutos. As duas equipes se concentram agora na estreia no Paulista, programada para esta semana.

O primeiro título do voleibol paulista feminino adulto da Divisão Especial em 2012 é do Sesi/SP. A equipe venceu, no último sábado, a Copa São Paulo Feminino 2012, torneio que serviu de preparação para o Campeonato Paulista desta temporada. Na decisão, realizada no ginásio do Esporte Clube Pinheiros, o Sesi/SP bateu o time da casa por 3 sets a 1, com parciais de 16/25, 25/18, 25/20 e 25/17, em 106 minutos. As duas equipes se concentram agora na estreia no Paulista, programada para esta semana.

As duas séries seguinte seguiram muito acirradas. Mas, com boas atuações da ponteira Elisângela e a levantadora Carol, duas jogadoras com grande experiência e títulos internacionais, o Sesi/SP esteve sempre melhor. Com mais paciência e tranquilidade nos pontos decisivos, venceu por 25/20 e 25/17 e conquistando o primeiro título da temporada 2012.

Para o técnico Talmo, o destaque da equipe foi a recuperação após perder o primeiro set. "Tivemos sobriedade para recuperar a confiança, mesmo jogando na casa do adversário. O grupo percebeu que tem de pensar em cada ponto por vez e todos estão de parabéns pela virada e conquista importante. Sem dúvida, dará mais confiança para os futuros desafios", afirmou.

Paulo Milagres, por sua vez, ressaltou a maior experiência do time campeão. "Foi um bom torneio e prevaleceu a maior experiência do Sesi, que tem um grande elenco. Nós temos um grupo novo e que vai ganhar mais ritmo ao longo do Paulista. Esperamos brigar por um lugar entre as quatro primeiros", declarou.

Divulgação